O que é TDAH?

O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) (CID F90) é um transtorno neurobiológico caracterizado pela combinação de sintomas de desatenção, hiperatividade (inquietude motora) e impulsividade.

O TDAH aparece na infância e na maioria dos casos acompanha o indivíduo por toda a vida. A apresentação predominantemente desatenta é conhecida por muitos como DDA (Distúrbio do Déficit de Atenção).

É importante dizer que o TDAH não é uma doença, portanto, não existe uma cura para solucioná-lo e sim um tratamento para melhor conviver com ele.

Os sintomas de TDAH podem se manifestar no início da infância; no entanto, o diagnóstico pode ficar mais evidente a partir do momento que a criança vai para a escola, pois a criança com TDAH pode apresentar dificuldade em prestar atenção à aula, responder as questões sem terminar de ler e não conseguir ficar parado.

 

Sintomas de TDAH

O DSM-5 tem alguns critérios que definem o diagnóstico de uma criança ou adulto com TDAH.

Em primeiro lugar, é necessário que a pessoa apresente um padrão persistente de desatenção e/ou hiperatividade-impulsividade que interfira no funcionamento e no desenvolvimento.

Para tanto, ela precisa apresentar sintomas destes dois aspectos.

 

Sintomas Comuns de Desatenção:

• Deixar de prestar atenção a detalhes ou comete erros por descuido em atividades escolares, de trabalho ou durante outras atividades
• Ter dificuldade de manter a atenção em tarefas ou atividades lúdicas
• Não escutar quando lhe dirigem a palavra
• Não seguir instruções e não termina deveres de casa, tarefas domésticas ou tarefas no local de trabalho
• Ter dificuldade para organizar tarefas e atividades
• Evitar, não gostar ou relutar em se envolver em tarefas que exijam esforço mental prolongado (tarefas escolares, deveres de casa, preparo de relatórios etc.)
• Perder objetos necessários às tarefas ou atividades
• Ser facilmente distraído por estímulos externos (para adolescentes mais velhos e adultos pode incluir pensamentos não relacionados)
• Ser esquecido em relação a atividades cotidianas.
• Remexer ou batucar mãos e pés ou se contorcer na cadeira
• Levantar da cadeira em sala de aula ou outras situações nas quais se espera que permaneça sentado (sala de aula, escritório, etc.)
• Correr ou subir nas coisas, em situações onde isso é inapropriado ou, em adolescentes ou adultos, ter sensações de inquietude
• Ser incapaz de brincar ou se envolver em atividades de lazer calmamente
• Não conseguir ou se sentir confortável em ficar parado por muito tempo, em restaurantes, reuniões, etc.
• Falar demais
• Não conseguir aguardar a vez de falar, respondendo uma pergunta antes que seja terminada ou completando a frase dos outros
• Ter dificuldade de esperar a sua vez
• Interrompe ou se intrometer em conversas e atividades, tentar assumir o controle do que os outros estão fazendo ou usar coisas dos outros sem pedir.

 

Blocos de brinquedo TDAH

 

Em geral, é preciso que a criança apresente seis ou mais desses sintomas por mais de seis meses antes de ser feito o diagnóstico. Já em adultos ou adolescentes (com mais de 17 anos), é preciso apresentar apenas cinco destes sintomas.

Vários sintomas de desatenção ou hiperatividade-impulsividade estavam presentes antes dos 12 anos de idade e em mais de dois ambientes, como a casa, escola, trabalho, com amigos.

É preciso haver evidências claras de que os sintomas interferem no funcionamento social, acadêmico ou profissional ou de que reduzem a sua qualidade. E os sintomas não devem ser mais explicados dentro de outro transtorno mental, como transtorno bipolar, transtorno de personalidade, entre outros.

 

Tipos

O TDAH pode se apresentar com sintomas de desatenção e de hiperatividade ou impulsividade. De acordo com a quantidade desses sintomas, podemos classificar o TDAH em três subtipos:

Apresentação combinada: Se tanto os critérios de desatenção e hiperatividade-impulsividade são preenchidos nos últimos 6 meses
Predominantemente desatento: quando os critérios de desatenção é preenchido nos últimos seis meses, mas os critérios de hiperatividade não são
Predominantemente hiperativo-impulsivo: quando os critérios de hiperatividade é preenchido nos últimos seis meses, mas os critérios de desatenção não são

Além disso, a pessoa pode ter três diferentes graus de TDAH:

Leve: Poucos sintomas estão presentes além daqueles necessários para fazer o diagnóstico, e os sintomas resultam em não mais do que pequenos prejuízos no funcionamento social, acadêmico ou profissional
Moderado: Sintomas ou prejuízo funcional entre “leve” e “grave” estão presentes
Grave: Muitos sintomas além daqueles necessários para fazer o diagnóstico estão presentes, ou vários sintomas particularmente graves estão presentes, ou os sintomas podem resultar em prejuízo acentuado no funcionamento social ou profissional.

 

Criança estudando

 

 

Causas

Quais são as causas do TDAH?

♦ Fatores genéticos
Anormalidades cerebrais
♦ Baixo peso ao nascer
♦ Mãe fumante na gravidez
♦ Abuso infantil
♦ Negligência
♦ Múltiplos lares adotivos
♦ Exposição a neurotoxinas (chumbo).

O TDAH é um dos transtornos psiquiátricos mais bem estudados no mundo. Entretanto, existe um questionamento contínuo sobre a sua origem e até o momento não há um consenso científico sobre as suas reais causas, ou seja, quanto a ele ser inato (genético) ou adquirido (ambiental).

Considerando-se que o TDAH é um transtorno heterogêneo (manifesta-se de inúmeras formas) e dimensional (os sintomas se combinam nos mais variados graus de intensidade) é possível inferir a complexidade da questão, com múltiplas causas e fatores de risco.

Assim, ainda continua difícil precisar a influência e a importância relativa de cada fator no aparecimento do transtorno, havendo necessidade de mais pesquisas sobre o tema.

 

Tratamento de TDAH

O tratamento precoce do TDAH é o “ponto-chave” para que a vida daqueles que têm o transtorno seja mais saudável, produtiva e com mais qualidade. Por isso é imprescindível que os sintomas sejam logo identificados e tratados corretamente.

 

Prevenção

A Neurociência ainda não sabe dizer ao certo de que forma é possível prevenir a ocorrência de TDAH. O que se conhece hoje são formas que ajudam a reduzir o risco de seu filho desenvolver o distúrbio.

Confira alguns exemplos:

♥ Durante a gravidez, evite fazer uso de substâncias que possam prejudicar o desenvolvimento fetal. Não beba bebidas alcoólicas, evite cigarros e outras drogas. Evite, também, a exposição a toxinas ambientais
♥ Proteja seu filho da exposição a poluentes e toxinas, incluindo a fumaça de cigarro, produtos químicos agrícolas ou industriais e chumbo.

 


 

Invista em conhecimento, estratégias e atividades para lidar com crianças que têm TDAH

 

O curso “TDAH com estratégias e atividades” é 100% online e foi desenvolvido em uma linguagem fácil, numa abordagem direta, com muitos exemplos, situações e atividades.

 

Botão Comprar Agora