TDAH: Veja os Sintomas de Déficit de Atenção

TDAH: Veja os Sintomas de Déficit de Atenção

O que é TDAH?

O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) (CID F90) é um transtorno neurobiológico caracterizado pela combinação de sintomas de desatenção, hiperatividade (inquietude motora) e impulsividade.

O TDAH aparece na infância e na maioria dos casos acompanha o indivíduo por toda a vida. A apresentação predominantemente desatenta é conhecida por muitos como DDA (Distúrbio do Déficit de Atenção).

É importante dizer que o TDAH não é uma doença, portanto, não existe uma cura para solucioná-lo e sim um tratamento para melhor conviver com ele.

Os sintomas de TDAH podem se manifestar no início da infância; no entanto, o diagnóstico pode ficar mais evidente a partir do momento que a criança vai para a escola, pois a criança com TDAH pode apresentar dificuldade em prestar atenção à aula, responder as questões sem terminar de ler e não conseguir ficar parado.

 

Sintomas de TDAH

O DSM-5 tem alguns critérios que definem o diagnóstico de uma criança ou adulto com TDAH.

Em primeiro lugar, é necessário que a pessoa apresente um padrão persistente de desatenção e/ou hiperatividade-impulsividade que interfira no funcionamento e no desenvolvimento.

Para tanto, ela precisa apresentar sintomas destes dois aspectos.

 

Sintomas Comuns de Desatenção:

• Deixar de prestar atenção a detalhes ou comete erros por descuido em atividades escolares, de trabalho ou durante outras atividades
• Ter dificuldade de manter a atenção em tarefas ou atividades lúdicas
• Não escutar quando lhe dirigem a palavra
• Não seguir instruções e não termina deveres de casa, tarefas domésticas ou tarefas no local de trabalho
• Ter dificuldade para organizar tarefas e atividades
• Evitar, não gostar ou relutar em se envolver em tarefas que exijam esforço mental prolongado (tarefas escolares, deveres de casa, preparo de relatórios etc.)
• Perder objetos necessários às tarefas ou atividades
• Ser facilmente distraído por estímulos externos (para adolescentes mais velhos e adultos pode incluir pensamentos não relacionados)
• Ser esquecido em relação a atividades cotidianas.
• Remexer ou batucar mãos e pés ou se contorcer na cadeira
• Levantar da cadeira em sala de aula ou outras situações nas quais se espera que permaneça sentado (sala de aula, escritório, etc.)
• Correr ou subir nas coisas, em situações onde isso é inapropriado ou, em adolescentes ou adultos, ter sensações de inquietude
• Ser incapaz de brincar ou se envolver em atividades de lazer calmamente
• Não conseguir ou se sentir confortável em ficar parado por muito tempo, em restaurantes, reuniões, etc.
• Falar demais
• Não conseguir aguardar a vez de falar, respondendo uma pergunta antes que seja terminada ou completando a frase dos outros
• Ter dificuldade de esperar a sua vez
• Interrompe ou se intrometer em conversas e atividades, tentar assumir o controle do que os outros estão fazendo ou usar coisas dos outros sem pedir.

 

Blocos de brinquedo TDAH

 

Em geral, é preciso que a criança apresente seis ou mais desses sintomas por mais de seis meses antes de ser feito o diagnóstico. Já em adultos ou adolescentes (com mais de 17 anos), é preciso apresentar apenas cinco destes sintomas.

Vários sintomas de desatenção ou hiperatividade-impulsividade estavam presentes antes dos 12 anos de idade e em mais de dois ambientes, como a casa, escola, trabalho, com amigos.

É preciso haver evidências claras de que os sintomas interferem no funcionamento social, acadêmico ou profissional ou de que reduzem a sua qualidade. E os sintomas não devem ser mais explicados dentro de outro transtorno mental, como transtorno bipolar, transtorno de personalidade, entre outros.

 

Tipos

O TDAH pode se apresentar com sintomas de desatenção e de hiperatividade ou impulsividade. De acordo com a quantidade desses sintomas, podemos classificar o TDAH em três subtipos:

Apresentação combinada: Se tanto os critérios de desatenção e hiperatividade-impulsividade são preenchidos nos últimos 6 meses
Predominantemente desatento: quando os critérios de desatenção é preenchido nos últimos seis meses, mas os critérios de hiperatividade não são
Predominantemente hiperativo-impulsivo: quando os critérios de hiperatividade é preenchido nos últimos seis meses, mas os critérios de desatenção não são

Além disso, a pessoa pode ter três diferentes graus de TDAH:

Leve: Poucos sintomas estão presentes além daqueles necessários para fazer o diagnóstico, e os sintomas resultam em não mais do que pequenos prejuízos no funcionamento social, acadêmico ou profissional
Moderado: Sintomas ou prejuízo funcional entre “leve” e “grave” estão presentes
Grave: Muitos sintomas além daqueles necessários para fazer o diagnóstico estão presentes, ou vários sintomas particularmente graves estão presentes, ou os sintomas podem resultar em prejuízo acentuado no funcionamento social ou profissional.

 

Criança estudando

 

 

Causas

Quais são as causas do TDAH?

♦ Fatores genéticos
Anormalidades cerebrais
♦ Baixo peso ao nascer
♦ Mãe fumante na gravidez
♦ Abuso infantil
♦ Negligência
♦ Múltiplos lares adotivos
♦ Exposição a neurotoxinas (chumbo).

O TDAH é um dos transtornos psiquiátricos mais bem estudados no mundo. Entretanto, existe um questionamento contínuo sobre a sua origem e até o momento não há um consenso científico sobre as suas reais causas, ou seja, quanto a ele ser inato (genético) ou adquirido (ambiental).

Considerando-se que o TDAH é um transtorno heterogêneo (manifesta-se de inúmeras formas) e dimensional (os sintomas se combinam nos mais variados graus de intensidade) é possível inferir a complexidade da questão, com múltiplas causas e fatores de risco.

Assim, ainda continua difícil precisar a influência e a importância relativa de cada fator no aparecimento do transtorno, havendo necessidade de mais pesquisas sobre o tema.

 

Tratamento de TDAH

O tratamento precoce do TDAH é o “ponto-chave” para que a vida daqueles que têm o transtorno seja mais saudável, produtiva e com mais qualidade. Por isso é imprescindível que os sintomas sejam logo identificados e tratados corretamente.

 

Prevenção

A Neurociência ainda não sabe dizer ao certo de que forma é possível prevenir a ocorrência de TDAH. O que se conhece hoje são formas que ajudam a reduzir o risco de seu filho desenvolver o distúrbio.

Confira alguns exemplos:

♥ Durante a gravidez, evite fazer uso de substâncias que possam prejudicar o desenvolvimento fetal. Não beba bebidas alcoólicas, evite cigarros e outras drogas. Evite, também, a exposição a toxinas ambientais
♥ Proteja seu filho da exposição a poluentes e toxinas, incluindo a fumaça de cigarro, produtos químicos agrícolas ou industriais e chumbo.

 


 

Invista em conhecimento, estratégias e atividades para lidar com crianças que têm TDAH

 

O curso “TDAH com estratégias e atividades” é 100% online e foi desenvolvido em uma linguagem fácil, numa abordagem direta, com muitos exemplos, situações e atividades.

 

Botão Comprar Agora

 

 

Reeducação Alimentar: Emagreça com Apenas 3 Simples Passos

Reeducação Alimentar: Emagreça com Apenas 3 Simples Passos

A melhor maneira de emagrecer sem correr o risco de engordar novamente é através de uma reeducação alimentar, pois dessa forma é possível diminuir o volume de comida nas refeições. Assim, é possível emagrecer com saúde, sem ter de recorrer a remédios ou cirurgia para emagrecer.

No entanto, para que os resultados sejam definitivos, é importante que a mudança nos hábitos alimentares seja acompanhada pela prática de atividade física regular.

A reeducação alimentar é a melhor receita para emagrecer com saúde, e consiste em comer alimentos saudáveis e diminuir o consumo de alimentos industrializados, refrigerantes, frituras e alimentos ricos em açúcar.

O passo a passo para conseguir fazer uma reeducação alimentar consiste em:

 

1. Beber 2 Litros de Água Por Dia

A hidratação com água é muito importante porque a água não tem calorias e limpa as toxinas do corpo, facilitando a desintoxicação. O ideal é beber de 1,5 a 2 litros de água, mas se você tem alguma dificuldade em beber toda essa água, experimente colocar um pedacinho de gengibre ou espremer meio limão numa garrafa de água gelada e ir bebendo vários goles durante o dia.

 

2. Comer de 3 em 3 Horas

Comer a cada 3 horas é o ideal porque assim o nível de glicose no sangue é mais estável e você sente menos fome e consegue se concentrar melhor na escola ou no trabalho.

Para conseguir comer a cada 3 horas deve-se consumir uma menor quantidade de alimentos em cada refeição, que deve ser composta por café da manhã, lanche do meio da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar e ceia.

 

3. Reeducar o Paladar

Para escolher melhor os alimentos você deve reeducar o paladar.

Experimente receitas novas e opte sempre pelos integrais, porque diminuem a fome além de regular o intestino, e deixe de comer em fast food e as frituras. Coma pelo menos 2 frutas por dia, elas são ótimas como sobremesa.

Para que essas mudanças sejam implementadas no dia-a-dia deve fazer-se 1 mudança por semana até que ela se torne um hábito que será adotado para sempre.

 

Por Onde Começar?

O primeiro passo é conseguir identificar quais são as mudanças necessárias na sua alimentação para torná-la mais saudável.

Um exemplo seria trocar alimentos gordurosos e ricos em calorias por alimentos mais nutritivos.

O objetivo é fazer com que o seu organismo se adapte ao novo estilo de alimentação, mas que também consiga obter os nutrientes essenciais que precisa para funcionar perfeitamente de uma maneira mais saudável.

 

Reeducação Alimentar Ajuda a Emagrecer?

 

Balança com alimentos

 

Sim, a reeducação pode ser a maneira mais simples de emagrecer com saúde, mas não é algo rápido. É preciso ter paciência.

Através desse modelo de alimentação, você irá olhar para os alimentos de forma diferente e dará chances para versões mais saudáveis, como frutas, verduras e legumes.

Com isso, as principais e primeiras mudanças vão acontecer na sua mente, mas consequentemente vão refletir na balança e nas medidas.

Além disso, mesmo após a pessoa atingir o seu objetivo de emagrecer, a reeducação é importante para que a pessoa mantenha o peso, evitando o efeito sanfona.

 

Cardápio: O Que Comer Para Fazer Uma Reeducação Alimentar?

O ideal é que você consiga comer todos os tipos de alimentos, mas sempre preferindo opções mais saudáveis, essencialmente alimentos do tipo in natura, que são os alimentos naturais. Além disso, o consumo de água também é importante na reeducação alimentar. Veja abaixo:

 

Frutas Frescas♦ Frutas;
♦ Verduras;
♦ Legumes;
♦ Peixes;
♦ Carnes magras;
♦ Oleaginosas: nozes, amêndoas, pistaches.

Esses grupos de alimentos listados acima podem contribuir para que essa reeducação do organismo seja possível.

Os alimentos vegetais, como as frutas, legumes, verduras e também as oleaginosas, são importantes porque fornecem uma boa quantidade de energia e nutrientes sem trazer os excessos de calorias e gorduras que os alimentos ultraprocessados têm.

 

 

Os Principais Vilões e Mocinhos na Alimentação Saudável

Os são os piores alimentos consumidos atualmente, que deveriam ser evitados a qualquer custo:

• Alimentos ultra processados (sucos em pó, embutidos, biscoitos recheados, refrigerantes, salgadinhos, nuggets, molhos prontos), que passam por muitas modificações até chegarem à mesa.

• O açúcar e a gordura, combinação que, para a indústria, é um trunfo e, para os consumidores, a verdadeira desgraça.

• Doces de padaria, pães, pizza, bolos, tortas são alimentos feitos com gordura vegetal e que possuem uma carga glicemia muito alta, aumentando o risco de obesidade, diabetes, doenças cardiovasculares e compulsão alimentar.

 

Cardápio Saudável

 

Mulher segurando prato

 

Café da manhã

Opção um: 1 copo de 200ml de suco verde (abacaxi com couve + gengibre em raspas ) + 2 unidades de torrada integral + 2 colheres (chá) de queijo cottage.

Opção dois: 200ml de suco de frutas vermelhas (polpa congelada) + 2 unidades grandes de bolacha de arroz + 1 colher (sopa) de queijo cottage + 1 xícara pequena de café.

Opção três: 200 ml de suco de maçã verde com couve e raspas de gengibre + 1 fatia de pão integral + 1 colher (sopa) de queijo cottage + 1 xícara pequena de café.

 

Colação

Opção um: 200ml de chá verde.

Opção dois: 200ml de chá Matchá.

Opção três: 200ml de chá de hibisco.

 

Almoço

Opção um: Salada de folhas verdes, tomate, pepino + 3 colheres (sopa) de legumes cozidos + 1 filé médio (200g) de frango + 3 colheres (sopa) de arroz integral + 2 colheres (sopa) de feijão.

Opção dois: 1 prato de sobremesa de salada de agrião, tomate cereja, cenoura crua, lentilhas cozidas + 1 xícara média de brócolis cozido + 1 filé médio (150g) de bife de carne sem gordura + 1 xícara média de macarrão parafuso integral.

Opção três: 1 prato de sobremesa de salada de rúcula, tomate, palmito + 1 filé grande (200g) de salmão grelhado + 3 colheres (sopa) de batata cozida e salteada no azeite extravirgem (salpicar salsinha).

 

Lanche da Tarde

Opção um: 2 unidades de castanhas do Brasil + 3 unidades de amêndoas + 5 unidades de semente de abóbora + 2 unidades de damasco seco + 1 copo pequeno de iogurte desnatado.

Opção dois: liquidificar 200ml de leite desnatado + 2 castanhas do Brasil + 3 amêndoas + 5 sementes de abóbora + 1 fruta pequena.

Opção três: 1 taça média (ou mais ou menos 5 colheres de sopa) de salada de frutas. Polvilhar com 1 colher (sopa) de quinoa em flocos + 2 castanhas do Brasil + 5 sementes de abóbora.

 

Jantar

Opção um: 4 colheres (sopa) de tapioca hidratada recheada com salada de folhas verdes + tomate + frango desfiado + 165ml de suco de limão.

Opção dois: 1 prato de sobremesa de salada de folhas verdes + tomate + pepino + palmito + omelete de 1 ovo inteiro e 1 clara recheado com espinafre + 165ml de chá de hibisco.

Opção três: 1 prato de sobremesa de salada de folhas verdes + cenoura crua ralada + tomate cereja + 1\2 berinjela média assada recheada com carne moída + 165ml de suco de melancia.

 

Ceia:

1 xícara média de chá de alecrim + lactobacilos (1 garrafinha Yakult) + 1 fruta pequena.

 

Atividade Física

Para complementar seu processo de reeducação alimentar, combine ele à pratica de atividades físicas. Dessa maneira, além de ajudar o corpo, você ainda acelera seu metabolismo e ajuda a reduzir medidas no corpo quando o propósito é emagrecimento.

A atividade física em si já faz bem para o organismo e auxilia na queima de grandes calorias. Independente de qual for, alinhar ela a alimentação é uma combinação espetacular. Em soma, com uma maior queima de calorias, você ainda fica livre para, de maneira controlada, comer algumas coisinhas que gosta a mais.

 


 

 

DESCUBRA COMO EMAGRECER DE MANEIRA

CORRETA E EFICAZ EM PLENA QUARENTENA!

 

Finalmente algo para ajudar VOCÊ a emagrecer do jeito certo e rápido,
sem sair do conforto da sua casa!

 

 

Botão comprar agora

 

 

A Importância da Aromaterapia Durante a Gestação

A Importância da Aromaterapia Durante a Gestação

É maravilhoso imaginar como o corpo da mulher trabalha para gerar um novo ser. No entanto, este período traz consigo sensações, sentimentos e alterações físicas bastante significativas, o que faz com que a gestante necessite de atenção e cuidados especiais.

No campo emocional, é muito comum que a futura mamãe apresente ansiedade, estresse e insônia decorrentes do excesso de preocupação. Na parte corporal, é preciso aumentar os cuidados com a pele, caprichando na hidratação para prevenir o surgimento de estrias, além de atenuar os efeitos do inchaço nas pernas e pés. A Aromaterapia pode ajudar até no momento do parto, com essências que favorecem a chegada do bebê se a opção for por parto normal. Nos cinco primeiros meses, o uso dos aromas deve ser bastante comedido. Embora eles sejam totalmente naturais, todo cuidado é pouco e há muitas empresas que comercializam óleos essenciais cuja procedência é bastante duvidosa, confundindo o consumidor.

 

Aromaterapia: Os Óleos Essenciais na Gravidez

 

Gestante com óleos essenciaisComo a Aromaterapia poderia contribuir com o bem-estar da mulher no período de gestação? Tal questionamento é pertinente e já norteou uma série de pesquisas neste sentido, uma vez que o uso dos óleos essenciais na gravidez seja uma realidade inegável, não é verdade?

No entanto, o assunto merece extremo cuidado. Afinal, recorrentemente é divulgado o fato de que há determinados tipos de óleos essenciais que não são indicados para as gestantes devido a possiblidade de efeitos colaterais.

Mito? Verdade?

Seja para aliviar alguns sintomas típicos da gravidez, seja durante o trabalho de parto para minimizar as dores, fato é que a Aromaterapia surge não somente como uma alternativa.

Na verdade, ela atua também como uma terapia agregadora, que se soma aos cuidados e ao acompanhamento médico tradicional.

Para trabalhar a ansiedade, a gestante pode beneficiar-se das propriedades da Lavanda, excelente pedida para acalmar, combater a insônia e relaxar. Na hora de dormir, basta colocar no quarto um aromatizador tipo plug com algumas gotas da essência. Os resultados são surpreendentes.

 

Aromaterapia na Gravidez: Aliada na Vida da Mãe Desde a Gestação

Antes o parto, durante ou no pós-parto, os óleos essenciais estão presentes na vida das então futuras mamães, muitas vezes desde antes a gestação.

Na verdade, uma série de sintomas que surgem durante a gravidez, como aqueles que indicam depressão, insônia, medo, ansiedade, estresse, e tantos outros, podem ser minimizados com o uso de determinados aromas.

Claro, tudo deve se pautar de maneira cautelosa e com a devida orientação para que seja feito o uso responsável e correto da Aromaterapia e seus óleos essenciais.

Se por um lado, os medicamentos “comuns” implicam na absorção do organismo em relação aos componentes químicos, com os óleos essenciais a ação ocorre no chamado nível neuropsíquico. Dessa forma, há uma “influência” nas chamadas “respostas emocionais”, o que acarreta uma ação veloz nos centros nervosos do indivíduo.

 

Estudos e Contraindicações

 

Óleo Essencial

No primeiro trimestre da gestação a Aromaterapia não é indicada.

Após os 3 primeiros meses, o ideal é que ao fazer o uso dos óleos essenciais, a gestante o faça com o conhecimento do obstetra e acompanhamento de uma aromaterapeuta de confiança.

No tocante as pesquisas relacionadas com o tema, uma das mais importantes foi realizada no Hospital John Radcliffe, localizado na região de Oxford na Inglaterra.

O estudo incluiu 8058 mulheres em trabalho de parto normal ou cesariana e durante 8 anos, avaliou os efeitos dos óleos essenciais em sintomas como:

• Dor, medo e ansiedade (usando óleos essenciais de Lavanda, Camomila Romana e Rosa);
• Náusea e vômito (Hortelã pimenta);
• Amenizar estresse no parto (aroma de Eucalipto, Limão e Mandarina).

O estudo indicou resultados positivos nestes quesitos acima. Além disso, óleos essenciais de Tangerina, Laranja e Lavanda mostraram-se benéficos tanto para a mãe quanto para o bebê.

As principais formas de uso dos óleos essenciais durante a gravidez são também variados, como massagem, banho de imersão, inalação, compressas e escalda-pés, de acordo com o desconforto sentido.

Abaixo alguns óleos essenciais indicados para gestação, parto e pós parto:

 

Lavanda- lavandula Augustifólia

 

Ansiedade e dificuldade para dormir

Com o medo, vem a ansiedade, um dos maiores males que afeta as gestantes. O óleo essencial de Lavanda , é sem dúvida um dos melhores óleos essenciais para ser usado durante a gestação, parto, pós parto e para o bebê. Considerada a mãe da aromaterapia atual a Lavanda é equilibrante, apaziguadora das emoções, acolhedora! Para os bebês ela pode facilitar o sono e traz tranqüilidade, é um bálsamo para o puerpério, pode ser usada para enxaqueca, dores de cabeça e dores musculares.

 

Hortelã – Mentha Spicata ou Hortelã Pimenta – Mentha Piperita

 

Náuseas, vômitos e dores de cabeça

Cerca de 80% das gestantes costumam sentir náuseas, enjôos, amargor na boca e dores de cabeça, especialmente no primeiro trimestre de gravidez. Os óleos essenciais de Hortelã-pimenta (Mentha piperita) e Hortelã-do-campo (Mentha arvensis); são muito úteis para tratar as náuseas. Podem ser utilizados via inalação – até 3 gotas na palma das mãos. Óleo essencial extremamente refrescante, revigora, traz concentração expectora, limpa, é um excelente analgésico muscular e estimulante da mente, bom para dores de cabeça e náuseas durante a gestação (usar após 3 primeiros meses).

 

Ylang Ylang

Indicado para tratar ansiedade e depressão pós parto, auxiliar na redução da dor e uso de analgesia.

 

Lemongrass 

No trabalho de parto atua no alívio da dor e propicia um estado maior de relaxamento da parturiente. As formas de uso podem ser através de inalação e/ou massagem diluídos a 1% em óleo vegetal carreador.

 

Eucalipto (Eucalyptus glubulus)

Para aumentar a sensação de bem-estar e sentimentos positivos em relação ao parto

 

 

Cuidados Com o Corpo Durante a Gravidez

A pele do corpo também precisa ser preparada para suportar, principalmente, o aumento do volume dos seios e o crescimento da barriga. Uma vez por semana, o corpo precisa de uma esfoliação: pegue uma colher de sopa de açúcar, sal ou algas e acrescente 3 colheres de óleo vegetal de amêndoas ou girassol. Passe a mistura por todo o corpo, massageando de baixo para cima com movimentos circulares. Depois, é só enxaguar o corpo.

A esfoliação ativa a circulação, promove uma hiperemia na pele e ativa a produção de colágeno e elastina. São estas substâncias que a ajudarão na conquista por mais elasticidade. Nos demais dias da semana, a hidratação precisa ser reforçada e os óleos vegetais continuam sendo fortes aliados, assim como cremes neutros.

Grávida segurando uma flor na barrigaNeste processo de esfoliação e hidratação, são necessários dois cuidados: o primeiro deles é não hidratar o bico dos seios. Eles precisam estar mais resistentes para suportar a amamentação. O mais recomendado é passar, diariamente, uma toalha em todo o bico. O segundo é não se esquecer dos calcanhares: é muito comum que eles fiquem mais secos ou venham a rachar em decorrência das alterações hormonais.

A partir do quinto mês, caso o médico não se oponha, já é possível introduzir óleos essenciais em alguns momentos. Se a gestante apresentar acne, a lavanda é ideal para tratar a pele. O óleo pode ser aplicado no local da espinha e a água de lavanda por ser borrifada em todo o rosto.

A drenagam linfática, bastante recomendada no período da gestação, pode ter seus efeitos potencializados com o uso dos óleos essenciais de lavanda e camomila romana. Bastam algumas gotas no creme utilizado para a massagem. Pernas e pés, que sofrem com inchaços, podem ser tratados com um escalda-pés de lavanda. Após repousar os pés na água morninha, é preciso deitar-se com as pernas elevadas.

A Aromaterapia pode ajudar até mesmo na hora do parto. Na Europa e nos Estados Unidos, é muito comum aromatizar as salas de parto normal. Se isto for possível, sálvia e gerânio são os mais indicados.

No mais, é só curtir a gravidez e esperar pela chegada do rebento. Organize um Chá de Bebê para reunir as pessoas queridas, peça para o papai fazer bastante carinho na barriga e conversar com o bebê ele estará sentindo tudo. E com certeza, será uma pessoa bastante feliz por saber o quanto era esperado.

 


 

Curso Aromaterapia Online para Iniciantes

 

Sabe aqueles incômodos que você sente diariamente? Aqueles que atrapalham o seu rendimento nas tarefas diárias, como a insônia, a falta de disposição, ansiedade, irritabilidade, medo, TPM, menopausa, tristeza, falta de concentração…. Ninguém merece!

 

No Curso de Aromaterapia Online , vamos JUNTAS cuidar de você e da sua família de forma natural!Botão Comprar Agora

 

Dieta Low Carb: O Que É e Como Fazer

Dieta Low Carb: O Que É e Como Fazer

Houve um tempo em que as gorduras eram consideradas as grandes vilãs do emagrecimento. Hoje, a história é diferente. O objetivo de muitas pessoas tem sido diminuir a ingestão de carboidratos, por meio das dietas low carb. E a razão principal é justamente perder gordura.

Os carboidratos são responsáveis por fornecer glicose, uma das nossas maiores fontes de energia. O problema é que, em excesso, ela é armazenada na forma de gordura. É por isso que uma das melhores formas de ‘secar’ não é cortar os alimentos gordurosos e sim diminuir os carboidratos. Quando eles faltarem, o corpo vai utilizar a gordura como fonte de energia. Por isso, a primeira coisa que você precisa ter em mente quando se perguntar “Dieta Low Carb como fazer” é priorizar as proteínas e boas fontes de lipídeos.

Outro benefício é evitar os picos de glicose. Muitos carboidratos têm um alto índice glicêmico, ou seja, eles são digeridos rapidamente e aumentam de forma mais brusca a taxa de glicose no sangue. Assim, a pessoa sente fome mais cedo. Ele acrescenta que, além de prolongar a saciedade, a low carb pode ser recomendada para pessoas que precisam de um cuidado extra com o açúcar no sangue, como é o caso dos diabéticos.

Qualquer que seja o objetivo da mudança na alimentação, o melhor é ter o acompanhamento de um especialista. Sempre há um risco quando a pessoa faz a dieta por conta própria, ela pode provocar falta de vitaminas, sensação de cansaço, de fome exagerada, entre outros problemas. O profissional vai saber equilibrar os nutrientes de acordo com as necessidades.

Existem diversas vertentes de dietas low carb, como as famosas Dieta Atkins e a Dieta Paleo.

 

Dieta Low Carb: Como NÃO Fazer

 

Mulher pensando o que comer

 

1. Achar que a low carb é modinha e fazer só por um tempo

Não tem problema algum se você está aqui por ter digitado no Google “Dieta Low Carb Como Fazer” porque quer emagrecer. Eu também comecei assim. Só que preciso ser muito sincera: se você voltar a comer carboidratos como antes, vai engordar rapidinho! Principalmente se você quiser compensar o período que ficou sem.

A low carb é uma dieta muito gostosa de ser feita, você muda seu relacionamento com a comida de uma forma muito legal! Eu não conto calorias, não como de 3 em 3 horas. Eu mudei meus hábitos para entender que preciso comer quando meu organismo sente fome. Se eu falar que não sinto vontade de comer doce, é mentira. Mas me pego diversas vezes pensando: “Nossa, queria uma salada, dessas bem caprichadas.” De verdade, essa alimentação mudou tanto tudo no meu corpo que eu nem vejo como dieta.

 

2. Ter medo da gordura

Se você já pesquisou um pouco sobre “Dieta Low Carb Como Fazer ” já deve ter visto que há consumo de gordura. Não sei o que você achou disso. Logo no começo, eu morri de medo. Mas vou explicar de uma forma bem simples: na low carb, a gente muda o combustível do corpo. Ahm? Como assim? Ao invés de ter os carboidratos como principal fonte de energia, temos as gorduras. Não vai adiantar nada diminuir os carboidratos e não querer comer as gorduras saudáveis (lá embaixo eu explico quais são). Você vai ficar com fome, não vai conseguir manter e não vai ter energia para fazer as suas atividades do dia.

Ah, importante: não é por isso que você também vai mergulhar com tudo nas gorduras. É tudo o suficiente, o necessário e não de forma exagerada.

 

3. Não saber dizer adeus aos carboidratos

Gente, eu sei! É difícil! Eu sou apegada numa massa! Nhoque é vida pra mim, na minha mente de gordices. Só que: se você está mudando o combustível do seu corpo, não pode continuar dando carboidratos em excesso para ele. A dificuldade de muita gente é na hora de sair. Poxa, mas e a minha cervejinha? A informação que eu vou dar agora não sei se tem base científica, mas ouvi dizer que uma latinha de cerveja equivale a 2,5 pães franceses. O que? Sim! É real. Desculpe jogar a realidade assim, tão duramente, mas é necessário.

E já que é necessário, vamos continuar com sinceridade: se você comer muita gordura e muito carboidrato, vai engordar. Fato. Não dá para ter tudo na vida, né? Depois, a gente sai culpando a low carb que não funciona. Mas, quem não seguiu certinho?

O que você precisa abrir mão: alimentos ricos em carboidratos, glúten e açúcar basicamente. Aposto que agora você se perguntou: não sou celíaca, preciso tirar o glúten? Te respondo tudo neste post aqui: além de engordativo, o glúten é super inflamatório.

 

4. Achar que low carb é zero carb

Eu falei ali em cima em dar adeus aos carboidratos, mas não é um adeus completo. Até porque, isso é impossível. Lamento informar, mas os vegetais também têm carboidratos. Por favor, não se transforme numa dessas pessoas que é “carbofóbica”, pensando que o carboidrato que você comer de uma couve-flor vai arruinar a sua dieta. Um nutricionista vai poder te orientar sobre qual a quantidade de carboidratos que você deve consumir por dia. Ele vai levar em consideração a sua saúde e seus objetivos. Vamos jogar a real de novo? De que adianta ficar durante a semana preocupada com os carbs de uma vagem e no final de semana se entupir de brigadeiro, comendo uma panela sozinha?

Coloca aí na sua pastinha “Dieta Low Carb Como Fazer ” a importância dos grupos alimentares:

 

a) Carboidratos de baixo/moderado índice glicêmico

Aveia, batata-doce, pães 100% integrais e cuscuz são boas opções para o café da manhã. Os carboidratos são fundamentais para o bom funcionamento do organismo e não se pode cortá-los totalmente da alimentação. É preciso controlar a quantidade e fazer escolhas melhores. É importante não exagerar no arroz, porque tanto o branco quanto o integral têm praticamente o mesmo índice glicêmico.

Já as frutas exigem cuidado, porque elas têm grande quantidade de açúcar, no caso, a frutose. Você pode consumi-las antes do treino de musculação, caminhada ou outra atividade física e depois do treino, pois elas vão ajudar na sua recuperação. Não se deve comer frutas se não for para gastar as calorias delas. Um dos piores momentos é na sobremesa, porque você já vai ter consumido o almoço e provavelmente não vai usar a energia da fruta, e sim armazená-la. Também devem ser evitados alimentos industrializados, como barrinhas de cerais, biscoitos e snacks em geral.

 

b) Fibras

Elas desaceleram a digestão, permitindo que o carboidrato vá lentamente para a corrente sanguínea, e ajudam no trânsito intestinal. Algumas indicações são acrescentar ingredientes como chia, farinha de linhaça e de aveia, fibra e lasca de coco nas frutas e tapiocas, entre outros pratos.

 

c) Proteínas

Carnes vermelhas, frango, peixes, ovos e laticínios. Uma das vantagens da proteína é que ela exige mais energia para ser digerida e ajuda a acelerar o metabolismo. Além disso, ela é essencial para a formação de massa muscular. Derivados do leite também são permitidos e são boas opções para os lanches, por serem fonte de carboidratos e proteínas. Hoje sabemos que o queijo amarelo é bem melhor que o queijo branco, porque a quebra dele é mais lenta.

 

d) Boas fontes de gorduras

azeite, castanhas, nozes, óleo de coco, abacate e peixes de águas frias, que são ricos em ômega 3 (salmão, atum, sardinha).

 

e) Outros alimentos

folhas verdes (couve, rúcula, alface, agrião) e vegetais com baixa quantidade de amido, como couve-flor, rabanete e brócolis.

 

Vamos voltar aos erros?

 

5. Não se planejar

A dieta low carb é mais fácil de fazer, não exige um mega planejamento quando comparada com a reeducação alimentar. Organizar todas as refeições do dia para comer de 3 em 3 horas não é fácil quando você fica fora de casa o tempo todo.

Vai almoçar fora? Foca no bicho e planta e vai ser feliz! Eu sei, não dá para saber como as carnes foram preparadas, mas se você não tem tempo de cozinhar em casa, vai com o que tem né? Deu fome entre as grandes refeições: castanhas, lascas de coco e até um pouquinho de queijo podem te salvar.

Agora, se você prefere preparar as próprias refeições, é fundamental um planejamento. Eu gosto de preparar por 2 grandes motivos: sai mais barato do que comer fora e eu sei exatamente como as coisas estão sendo preparadas. Você vai precisar ir mais ao mercado, folhas e vegetais estragam com mais facilidade. E no começo, é difícil mesmo saber as quantidades que você vai precisar. Ajuda muito pensar em um cardápio para a semana e já ir ao mercado sabendo o que comprar.

 

6. Ser a louca das receitas

Assumo: logo que eu comecei a correr atrás de informações sobre dieta low carb com começar , eu pirei nas receitas! Cada coisa gostosa! Só que muitas vezes, elas nos atrapalham! A gente acaba trocando uma compulsão por outra. O que isso significa? Ao invés de comer muita pizza, eu comia muuuuito alguma receita de pão low carb. E, não é porque pode, que pode tudo. Lembra que eu falei ali em cima que o grande lance é o equilíbrio?

Para quem está começando, é muito difícil ficar sem pão. A gente pensa que precisa de um pão. Mas aos poucos, nossos hábitos vão mudando e a gente vê que consegue sim viver sem algumas coisas. A gente também percebe que pode sim fazer receitas às vezes, principalmente quando estiver enjoada da dieta. Mas não faça disso uma rotina. Sua saúde, seus objetivos e o seu bolso agradecem.

Eu me dei como objetivo manter tudo o mais simples possível. Preparo tudo na manteiga ghee (que é livre de lactose) ou no óleo de coco. Descobri que assar os legumes com azeite e temperinhos gostosos deixam tudo com uma textura diferente e bacana.

 

7. Achar que está tudo perdido porque você perdeu a linha um dia

Na minha opinião, esse lado psicológico tem um peso muito grande em qualquer estilo alimentar. A pior coisa que existe é a gente se sentir o pior ser humano da Terra porque “furou a dieta”. Essa eu quero que você anote bem grande no seu caderninho “Dieta Low Carb Como Fazer”! Se você perder a linha um dia, o mundo não acabou. Não é porque você decidiu virar low cab que você nunca mais vai poder comer aquela coxinha recheada com catupiry. Isso foi cruel agora, né? Rsrs

Você precisa ter duas coisas em mente:

1- Todo final de semana não é um dia.
2- Tome cuidado para que o “um dia” não vire uma semana, um mês…

É normal a gente se perder às vezes. Na TPM, eu fico louca, atacada, atrás de doces. Mas esteja consciente quando você perder a linha. Pense que você está fazendo aquilo porque quer e que logo vai retornar. Assim, não bate a culpa.

ERRO EXTRA: Pesar a mão nos queijos e derivados

 

Dieta Low Carb: Como Fazer e O Que Comer

Essa pergunta pode ter diversas respostas, de acordo com o objetivo de quem aderiu à dieta low carb.

Meu objetivo atualmente é perder gordura. Isso significa emagrecer na balança? Não necessariamente. Isso significa perder banhinhas e ganhar massa magra. Também significa desapegar da balança. Se eu tivesse o peso que tenho hoje, mas com outro percentual de gordura, estaria tudo lindo.

 

1) Côco Seco

 

Côco seco

 

Muita gente acha que fazer dieta low carb é zerar carboidratos. Se fosse assim, ela chamaria ZeroCarb, né? A grande estratégia é escolher bem os carboidratos que vamos comer, deixando de lado ao máximo refinados e glúten. Um dos meus melhores amigos é o côco seco. Ele é fonte de gorduras boas, que servem de combustível para gerar energia. Por isso, ele está presente no meu pré-treino, junto com chá verde que é um termogênico natural. A polpa do côco é super rica em fibras, o que ajuda no funcionamento intestinal, mas é claro que ela é calórica e precisa ser consumida com moderação.

 

2) Ômega 3

Ômega 3

A gordura do bem que te ajuda a emagrecer. Talvez, você nunca tenha ouvido isso, mas existem sim gorduras boazinhas e que fazem bem ao nosso organismo. O ômega 3, presente em peixes, hortaliças verdes, castanhas e algumas sementes é uma delas. Ele é um anti-inflamatório muito poderoso, ajuda a diminuir os níveis de colesterol e de pressão arterial, melhora a autoestima e a depressão. A melhor fonte de ômega 3 são os alimentos presentes na natureza, mas em alguns casos, é necessário suplementar com cápsulas.

 

3) Kiwi

 

Kiwi fruta

 

Um dos meus lanches da tarde tem kiwi, uma fruta que eu nunca dei muita bola. Acabou de tornando uma das minhas refeições favoritas do dia. Ele tem aquele azedinho gostoso de frutas com pouca frutose (açúcar das frutas) e que por isso são super amigas da dieta! Ele também tem umas propriedades que a gente nem imagina! Essa fruta, rica em vitamina C, ajuda a nossa saúde de forma global. Melhoria do sono, prevenção da fadiga e da depressão, redução do stress e sim, NA PERDA DE PESO! O kiwi tem poucas calorias e alto teor de fibras, o que faz com que a gente se sinta satisfeita com facilidade. Ele tem um efeito super positivo no nosso sistema digestivo.

 

5) Própolis

 

É mega bem-vindo no nosso organismo, não só para quem está gripado. Ele é totalmente funcional sendo um potente antioxidante. Combate os radicais livres responsáveis pelo envelhecimento do corpo humano, atua como estimulante natural das defesas orgânicas ajudando na baixa imunidade. 15 gotinhas de manhã ou antes de dormir seria o ideal.

 

6) Castanhas

 

Castanhas

 

Não é porque pode, que pode MERGULHAR! A preocupação com as calorias não são a prioridade, mas fazem parte. Esse é um erro que muita gente comete ao adotar a dieta low carb, acreditar que “se pode, pode um monte!” Com relação às castanhas, elas são incríveis, ricas em gordura boa. Uma porção é suficiente, por mais que sejam saudáveis e tenham uma composição nutricional muito legal, elas também podem comprometer seu emagrecimento.

 

Dieta Low Carb: Como Fazer e Que Farinhas Comer

É só começar a fazer dieta que começa aquela vontade de pães, massas, bolos, biscoitos, brownies. Você também pode entender melhor o que glúten causa no organismo e se animar nessa vida sem glúten.

 

Vantagens das Farinhas Low Carb

Por serem trituradas, elas são digeridas de maneira mais fácil, proporcionando uma maior absorção dos nutrientes. Elas também fornecem uma boa quantidade de fibras , que reduzem o índice glicêmico dos alimentos, ajudam a regular o colesterol, prolongam a saciedade e contribuem para o bom funcionamento do intestino.

Cada tipo traz diferentes benefícios para a saúde e muitos são livres de glúten. Mas o argumento saudável não é um passe livre. A farinha é um alimento calórico, ótimo para fornecer energia, e deve ser consumido com moderação.

Experimentar outras farinhas também é uma forma de encontrar novos sabores e usar a criatividade na cozinha. Elas podem transformar uma receita tradicional e serem bons acompanhamentos, podendo incrementar sobremesas, iogurtes, saladas, vitaminas, sucos, mingaus, empanados, granolas, panquecas, entre outras nutritivas e deliciosas opções.

 

1) Farinha de Banana Verde

Quando está verde, a banana tem uma grande quantidade de amido resistente, que funciona como fibra alimentar. Nesse estágio, ela também apresenta baixo teor de açúcares e é rica em flavonoides, que têm propriedades antioxidantes e atuam na proteção da mucosa gástrica. Como o sabor da banana verde não é agradável, consumi-la na forma de farinha é uma ótima alternativa.

 

2) Farinha de Berinjela

É conhecida por auxiliar no controle dos níveis de colesterol. Contém flavonoides com efeito antioxidante, vitamina C, niacina (também conhecida como vitamina B3, importante para o metabolismo celular e a desintoxicação) e elevado teor de fibras.

 

3) Farinha de Castanha do Pará

É fonte de boas gorduras, proteínas e antioxidantes. Ela se destaca pelo alto teor de selênio, um mineral com diversas propriedades, entre elas fortalecer o sistema imunológico e ajudar na regulação da glândula tireoide.

 

4) Farinha de Chia

É uma farinha low carb muito queridinha! Ela é rica em diversos nutrientes, como cálcio, proteína e ácidos graxos. Um dos principais é o ômega 3, que tem ação anti-inflamatória, ajuda a controlar a pressão arterial e é benéfico para o sistema circulatório, pois dificulta a formação de coágulos sanguíneos. Também contém fibras solúveis que formam um gel no estômago e prolongam a saciedade.

 

5) Farinha de Linhaça

Destaca-se pela presença de lignana, substância que auxilia na prevenção do câncer, especialmente o de mama. Assim como a chia, ela é rica em ômega 3.

 

6) Farinha de Maracujá

Traz a vantagem de utilizar a casca do maracujá, que geralmente é desperdiçada. A casca tem alto teor de pectina, uma fibra solúvel que forma uma espécie de gel no estômago. Ele absorve açúcares e gorduras e não é digerido, sendo eliminado pelo organismo e, portanto, auxiliando no emagrecimento. A casca também fornece vitamina B3, ferro, cálcio e fósforo.

 

Dieta Low Carb Emagrece Mesmo?

 

Se o objetivo é eliminar gordura, certamente, a dieta low carb é uma das mais promissoras, isso porque a redução do consumo de carboidratos faz com que o corpo tenha que utilizar a gordura como fonte de energia, processo que não só reduz o tecido adiposo como parece diminuir o apetite. Assim, essa combinação faz mesmo com que haja uma perda de peso rápida. Portanto, a dieta low carb costuma ser indicada para que os resultados rápidos atuem como motivadores para o emagrecimento definitivo. Por isso, muitas pessoas acabam transformando esse modo alimentar em estilo de vida.

Assim, diversos estudos científicos randomizados já demonstram há alguns anos os benefícios e a segurança de uma dieta com restrição de carboidratos no manejo de doenças associadas à resistência a insulina (ex: diabete, obesidade, esteatose hepática – gordura no fígado, hipertrigliceridemia).

Recentemente, a Associação Americana de Diabete passou a defender abertamente low carb como uma das estratégias nutricionais adequadas para o manejo nutricional dos pacientes com diabete. Contudo, a Associação Americana afirmou, no que diz respeito ao controle da glicose no sangue, low carb é a estratégia mais eficaz entre as estudadas.

 

Receitas Low carb

Chega de teoria e vamos as receitas!

 

Hambúrguer sem pão

Ingredientes:

Manteiga, hambúrgueres, queijo, cream cheese, espinafre.

Modo de preparo:

Coloque um pouco de manteiga na frigideira, aqueça.
Coloque os hambúrgueres e temperos desejados
Vire até que fique pronto.
Adicione algumas fatias de queijo e um pouco de cream cheese em cima da carne.
Desligue o fogo e tampe a frigideira até o queijo derreter.
Sirva com um pouco de espinafre.

 

Café da manhã

Ovos mexidos com queijo acompanhado de suco de morango.

Ingredientes:

Ovo inteiro, queijo a escolha, sal, alho e cebola.

Suco:

1 porção de morangos frescos e gelo.

Quebre a quantidade desejada de ovos sobre a frigideira quente (geralmente 1-3)
Misture até obter o ponto.
Adicione os temperos e algumas pequenas fatias de queijo.

Sirva-se

 

Almoço low carb

Peito de frango com legumes na manteiga.

Ingredientes:

Manteiga, peito de frango, Sal Pimenta, alho, Curry e vegetais.

Modo de preparo:

Corte o peito de frango em pedaços pequenos.
Adicione manteiga na frigideira, ligue o fogo e aqueça.
Adicione os pedaços de frango.
Adicione uma pitada de sal, pimenta (se desejado), curry e o alho.
Cozinhe o frango até dourar, não deixe que ele fique cru.
Depois de pronto, tire o frango e adicione os legumes na frigideira por alguns instantes.
Sirva.

Não se limite somente a estas receitas, clique AQUI e adquira um ebook com 300 maravilhosas receitas Low Carb.

 

Salmão com aspargos e tomates

 

Concluindo

Dieta low-carb não significa apenas proteínas e gorduras o tempo todo. Frutas e vegetais exercem um papel muito importante na qualidade nutricional dentro do plano low carb. Mantenha o consumo de frutas e vegetais, e deixe seu prato muito mais interessante e sua nutrição mais completa.

 


 

 

PERCA ATÉ 4 KG EM 10 DIAS
COM A DIETA LOW CARB.

 

EMAGREÇA DE VEZ, SEM PASSAR FOME
COMENDO AS MAIS DELICIOSAS RECEITAS

 

SÃO 300 RECEITAS COM O MAIS VARIADO CARDÁPIO PARA VOCÊ TER UMA ALIMENTAÇÃO MUITO MAIS SABOROSA E SAUDÁVEL!

 

 

Botão QUERO EMAGRECER

 

 

Doces Fitness Que Não Engordam?  Sim, Eles Existem!

Doces Fitness Que Não Engordam? Sim, Eles Existem!

Uma das maiores dificuldades de quem se propõe a fazer uma dieta, é se livrar do vício pelos doces. Se neste momento, você também está passando por isso, confira aqui receitas de doces fitness que não engordam e que serão grandes aliados no seu dia-a-dia, para conquistar a boa forma.

 

Doces que não engordam: Dicas infalíveis para comer sem culpa!

Antes de te apresentar os doces saudáveis que não engordam, é importante dar algumas dicas preciosas. A primeira delas é que, em um plano de reeducação alimentar, pasme, comer doce não é proibido. A palavra “proibido” já gera, no seu cérebro, um mecanismo natural de compensação.

É isto mesmo! Muitas pessoas erram ao se privarem de comer algo doce, no momento em que o corpo pede. Em algum momento, depois de muita restrição, você vai acabar comendo, e o exagero por aquilo, que até o momento era “proibido”, será inevitável. Como resultado você ganha peso e muitas vezes, até em dobro : (

Por isso a primeira dica de ordem para emagrecer de forma saudável é não se privar de nada, apenas acertar a mão nas escolhas. Suas escolhas, de preferência, devem passar longe das gôndolas dos supermercados.

Nelas, estão sempre a disposição produtos considerados “doces do bem”, como os light ou açúcar zero, mas que, na verdade, escondem ingredientes que podem comprometer todos os seus esforços para manter a forma e também para sua saúde. Como é o caso dos conservantes e aditivos químicos.

Afinal, mesmo sendo zero açúcar, estes doces, aparentemente saudáveis, não deixam de ser industrializados, não é mesmo?
Por esta razão, aí vai a segunda dica especial. Na hora de escolher um doce para comer em algumas ocasiões, dê preferência aos doces caseiros, que levam em sua composição ingredientes saudáveis.

Minha terceira e última dica infalível para comer doce sem culpa, mesmo que sejam os doces fitness que não engordam: Mantenha uma dieta equilibrada!

Se você mantiver uma alimentação equilibrada de forma permanente, não será um doce (bem elaborado, com ingredientes saudáveis), que irá comprometer seus resultados.

 

Chocolates Irresistíveis

 

Não é de hoje que o açúcar é tido como vilão. Mas, nos últimos tempos, relaxamos com o boom das versões “permitidas” – doces fit, chocolates “do bem”, bolos e afins adoçados com açúcar de coco ou mesmo produtos sem açúcar. Basta uma visita a uma loja de alimentos naturais para se deparar com inúmeras novidades. A onda de diet/light que inundou o mercado há duas décadas não impediu o aumento do sobrepeso e da obesidade em todo o mundo.

Um docinho fit bem escolhido – sem excesso de açúcar, mesmo que seja de coco, e livre de adoçantes sintéticos e de gordura vegetal – pode ser uma boa opção para quem procura uma alimentação mais saudável. Mas, se o objetivo é emagrecer ou se livrar da compulsão ao açúcar, a conversa é outra. As calorias precisam ser contabilizadas na dieta, e existe muita bomba calórica por trás de rótulos como sugar free, low carb e afins. Mesmo ingredientes do bem, como açúcar e óleo de coco, farinha de amêndoas, chocolate amargo, amendoim e castanha, podem ter alto valor calórico.

Para não cair na armadilha fit, preste atenção especial aos brownies, cookies e barras com whey protein. Um brownie de chocolate do gênero, com 100 gramas, pode carregar cerca de 400 calorias – o equivalente a um prato de arroz, feijão, verduras, legumes e uma porção de proteína magra. Até as frutas secas não são inocentes. Além da frutose, algumas marcas adicionam xarope de glicose para realçar o sabor e aumentar o prazo de validade. Portanto, não dá para colocar nada na cestinha sem ler o rótulo.

Tirar o doce da boca do brasileiro não é tarefa fácil. O açúcar faz parte da nossa cultura – durante séculos, fomos uma economia açucareira. Desde criança, somos expostos a ele. Depois de adultos, treinar o paladar requer força de vontade e disciplina, como em qualquer mudança de hábito. Aspectos emocionais são importantes nos casos de compulsão – portanto, ajuda profissional e até medicamentos podem ser indicados, como num detox de álcool e drogas. O doce, seja de que tipo for, é garantia de prazer imediato, um antidepressivo sem necessidade de receita.

 

OLHO NELES

 

Cuidados Para Ter na Hora das Compras no Mercadinho Natureba

 

1 – Brownies e Cookies Fit

Costumam ser calóricos e podem conter gordura vegetal, incluindo a hidrogenada, que engorda e pode prejudicar a saúde coronária. Algumas marcas substituem a farinha de trigo pela de arroz, que também dispara a insulina e favorece depósitos de gordura.

 

Bob Esponja lambendo chocolate2 – Barrinha de Whei Protein

Além da proteína, nem sempre de boa qualidade, podem trazer carboidrato, que também é açucar. Há risco de inchaço na região do abdome. Alguns contêm xarope de glicose ou frutose, que são engordativos.

 

3 – Patas de Oleaginosas

Pastinhas de castanhas, amêndoas e avelãs, entre outras, são bastante calóricas, apesar de saudáveis. Procure pelas marcas que têm o menor número de ingredientes e evite as que adicionam óleo vegetal, espessantes e adoçantes.

 

4 – Frutas Secas

Por serem bem doces, podem ser gatilho de compulsão. Algumas marcas industrializadas adicionam aos produtos xaropes de glicose e de frutose, que engordam – é comum nos casos de tâmaras e de cranberry.

 

Doces Fitness

 

É normal você que está seguindo uma dieta e restringindo alguns alimentos querer comer um doce.

Mas o problema é que esses doces industrializados são um dos principais vilões da dieta. E você não quer sair da dieta não é mesmo? Mas também não quer deixar de comer seus doces?

Então a única solução para você é as receitas de doces fitness.

Foi pensando em você, que assim como eu, Ama comer doces, compartilho essas Receitas de Doces Fitness para você conseguir Emagrecer Comendo Doce.

Os doces fitness também tem que fazer parte de uma dieta saudável, afinal, quem consegue viver sem doces?

 

1- Petit Gateau Fitness

INGREDIENTES:

1 colher (sopa) rasa de manteiga
8 tabletes de chocolate 70%
1 ovo inteiro
1 gema
1 colher (sopa) rasa de cacau 100%
1 colher (sopa) de iogurte natural (se precisar)
1 colher (sopa) de farinha de aveia (ou a que você tiver)
1 colher (sopa) de adoçante (eu uso o xylitol)
½ colher (chá) de essência de baunilha

MODO DE PREPARO:

Derreta o chocolate 70% e a manteiga no microondas. Coloque de 30 em 30 segundos para não queimar o seu chocolate.
Espere esfriar, misture o ovo, a gema, o adoçante, a baunilha e a farinha e o cacau peneirados.
Se depois de misturar a massa, ela continuar muito grossa, acrescente o iogurte.
Coloque a massa em forminhas. Pode encher bem a forminha porque a massa não cresce muito.
Deixe na geladeira por 15 minutos. Enquanto espera, aqueça o forno a 220°.
Coloque seu petit gateau fit no forno por aproximadamente 7 minutos. Fique atento para seu petit gateau não passar do ponto. Se ele assar demais não fica com aquela caldinha por dentro.
O ponto certo é quando você vê que tá com casquinha por fora e molinho por dentro.

 

2- Sorvete de Banana

Nada melhor do que uma receita de sorvete fitness para servir junto com o seu petit gateau.

SorvetesINGREDIENTES:

2 bananas congeladas
4 colheres (sopa) de leite em pó
adoçante (eu uso o xylitol)
1 scoop de whey de baunilha

MODO DE PREPARO:

Bata as bananas no processador até virar uma pasta.
Acrescente o leite em pó, o whey e o adoçante. Bata por mais 2 minutos.
Coloque em uma vasilha e leve ao congelador.

 

3- Bolo de Banana Fitness

INGREDIENTES:

3 bananas
2 colheres (sopa) de óleo de coco
2 colheres (sopa) de farinha de amêndoas
2 ovos
1 colher (chá) de fermento
Canela à gosto

MODO DE PREPARO:

Bata tudo no liquidificador, coloque em ramequins ou em canecas e leve ao microondas por 2 minutos.

 

7- Bolo de Chocolate Fitness

INGREDIENTES:

2 ovos
6 colheres (sopa) de leite de coco
3 colheres (sopa) de farinha de amêndoas
1+½ colheres (sopa) de cacau em pó
2 colheres (sopa) de farinha de coco
3 colheres (sopa) de xilitol
1 colher (chá) de essência de baunilha
1 colher (chá) de fermento em pó
Chocolate 70%

MODO DE PREPARO:

Bata com o garfo os ovos, o leite de coco e a baunilha, acrescente os secos deixando o fermento por último.
Coloque a massa em uma frigideira untada com óleo de coco, tampe e deixe em fogo baixo até que a superfície fique firme.
Vire a massa e deixe por mais 1 minutos. Depois de pronto, jogue chocolate (70%) derretido por cima e pronto!

 

Picolé de Kiwi Fitness

 

Este é o mais NOVO e PODEROSO programa de emagrecimento de 17 dias para quem precisa urgentemente emagrecer naturalmente, atingir o peso ideal, mantê-lo pra sempre e reconquistar a vitalidade e autoestima no dia-a-dia, sem comer menos, sem passar fome, sem exercícios loucos e sem balelas…. CLIQUE AQUI para conferir!

 


 

JÁ PENSOU EM COMER DOCES SEM SAIR DA DIETA?

Reunimos as melhores receitas (testadas e aprovadas)

 

As principais receitas de doces para
você comer sem peso na consciência e no corpo!

 

 

Botão Comprar

 

 

 

Jejum Intermitente: O Que É e Como Fazer

Jejum Intermitente: O Que É e Como Fazer

Jejum intermitente é um método de emagrecimento que visa intercalar períodos de jejum com períodos de alimentação. O objetivo é fazer com que o corpo utilize os estoques de gordura e com isso haja uma perda de massa gorda.

Normalmente são indicadas entre 10 a 24 horas de jejum, que pode ser feito diariamente ou somente em alguns dias da semana.

Os períodos em que a alimentação é permitida são chamados de janelas de alimentação. Fora deles, a pessoa deve ingerir líquidos que não possuam calorias, como água (com ou sem gás) e chás e café sem açúcar.

O jejum era muito comum na época paleolítica, em que o ser humano vivia de caça e não tinha acesso a alimentos o tempo todo.

O método, no entanto, não é indicado para todas as pessoas e pode trazer problemas quando feito sem a orientação adequada.

 

Como Funciona o Jejum Intermitente

Existem diversos protocolos de jejum intermitente que pedem mais ou menos horas de jejum. Antes de conhece-los, no entanto, é importante ressaltar que a escolha da melhor forma de seguir um jejum intermitente deve ser conversada com um especialista (seja endocrinologista, nutrólogo ou nutricionista), que fará exames específicos e saberá dizer o melhor protocolo para sua saúde.

 

Tipos de Jejum Intermitente

 

Jejum de 12 Horas

Esse é o tipo mais comum, em que você passa metade do dia sem comer (incluindo as oito horas recomendadas de sono).

Nele é indicado que você faça três refeições ao longo do dia, ficando, por exemplo, das 20h da noite até às 8h da manhã sem se alimentar.

 

Sistema Leangains

O método foi desenvolvido pelo sueco Martin Berkhan e propõe que a pessoa fique de jejum por 16 horas, podendo fazer entre duas e três refeições nas oito horas restantes, a chamada janela de alimentação.

Você escolhe o melhor momento para criar sua janela de alimentação.

 

Protocolo Coma – Pare – Coma

Nesse sistema, a pessoa escolhe um ou dois dias da semana em que ficará completamente de jejum. Ou seja, nestes dias, ela fará uma refeição e depois só comerá de novo no mesmo horário no dia seguinte.

Este método costuma ter uma adaptação mais difícil e é importante fazer refeições ricas em fibras antes do jejum.

 

Como Fazer Jejum Intermitente

De qualquer modo, todo método de jejum intermitente envolve:

• Janelas de alimentação, que podem ser um dia ou horas durante o dia
• Ingestão de líquidos sem calorias durante o jejum, como água e café e chás sem açúcar
• Evitar itens que contenham calorias, incluindo alguns suplementos, como o whey protein.

 

Comer Apenas Quando Sente Fome

Outro protocolo comum é orientar que a pessoa coma apenas quando sente fome de verdade. Nesses casos, só é possível fazer jejum quando são consumidos alimentos com grande poder de saciedade, como proteínas, verduras, legumes e carboidratos ricos em fibras.

Esse método, no entanto, não funciona bem com pessoas que seguem dietas ricas em carboidratos simples ou não sabem diferenciar a fome real da vontade de comer devido a ansiedade ou fatores emocionais, por exemplo.

 

Alimentos Indicados Nas Janelas de Alimentação

Nos períodos em que a alimentação é permitida, é importante consumir alimentos que aumentem a saciedade e reponham os nutrientes.

Mulher esperando o jejum acabarPrefira: proteínas com pouca gordura, legumes, verduras, frutas com casca, cereais integrais (como arroz integral), tubérculos (inhame, cará, mandioca, batata doce)

Evite: cereais refinados (arroz branco, pão branco, massas), doces, alimentos muito industrializados.

Faça refeições do tamanho que você faria se não estivesse de jejum, não tente compensar o tempo que você ficou sem comer até então.

 

Mudanças Entre Homens e Mulheres

Normalmente mulheres aguentam períodos de jejum menores do que os homens. Isso ocorre porque eles possuem mais massa muscular, portanto tem reservas maiores de glicogênio, outra fonte de energia do corpo que é armazenada justamente nos músculos e muito usada durante o jejum. O ideal é que elas sigam jejuns de até 12 horas, enquanto os homens podem chegar a até 14 horas.

 

Como Quebrar o Jejum Intermitente

Sempre que se faz um jejum prolongado, a insulina, que é um hormônio que leva a energia ingerida para as células e assim gera potência para o trabalho, está baixa.

Por essa razão, não é aconselhado para nenhuma pessoa ingerir altas doses de carboidratos simples ou até mesmo grandes volumes de comida (mesmo que seja alimento que julgamos saudável).

O melhor é que se inicie o pós-jejum com poucos alimentos e que sejam de baixo índice glicêmico, se possível associados à uma porção pequena de proteínas com rápida absorção.

 

Jejum Intermitente Emagrece?

 

Frutas sortidasPara saber como essa dieta funciona, é preciso entender melhor as fases pelas quais o corpo passa ao longo do dia: quando está alimentado e o intervalo entre as refeições, ou seja, o jejum.

Quando você acaba de se alimentar, o organismo começa a dar um destino para a energia absorvida em forma de glicose. Para tanto ele ativa o hormônio insulina, responsável por colocar esse açúcar para dentro das células. A energia que não será utilizada pelas células é armazenada pela insulina em forma de tecido adiposo, ou seja, gordura.

Depois de um tempo essa energia se esgota e o corpo é obrigado a usar essas reservas. Ele recorre tanto ao glicogênio, uma forma de energia armazenada nos músculos, quanto ao tecido adiposo, e neste momento ativa hormônios que atuam na quebra de gordura (lipólise), como o glucagon.

Ao seguir um método de jejum intermitente, o glucagon e outros hormônios que quebram gorduras ficam mais tempo atuando no organismo, o que facilita a perda de peso. Além disso, o jejum evita grandes picos de insulina o que pode prevenir a resistência à insulina, mas para isso é preciso tomar cuidado para não exagerar nos carboidratos ao retomar a alimentação.

 

Vantagens do Jejum Intermitente

O jejum intermitente quando bem indicado e bem feito, pode trazer algumas vantagens, como:

  • Mais disposição
  • Clareza mental
  • Controle da glicemia e insulina.

Alguns estudos preliminares apontam que o jejum pode ajudar na saúde do coração. Isso porque o corpo em jejum utiliza uma substância chamada betahidroxibutirato como fonte de energia, que é utilizada mais facilmente pelo organismo. Isso faz com que o coração poupe energia e se estresse menos.

No entanto, é muito importante segui-los apenas com indicação médica.

 

Desvantagens do Jejum Intermitente

O jejum intermitente tem algumas desvantagens:

 

Dificuldade de Adaptação

Algumas pessoas têm dificuldades em se adaptar a ficar longos períodos sem comer, principalmente as que têm uma dieta rica em carboidratos simples ou que sempre comem de três em três horas.

 

Riscos Quando Feito Sem Acompanhamento

Pessoas que fazem os jejuns sem acompanhamento, ficam muito tempo sem comer e não se alimentam direito nas janelas podem ter desnutrição, desidratação, hipoglicemia, fraqueza muscular, dificuldades de concentração, entre outros…

 

Tendência a Compulsão

Por ficar muito tempo sem comer, algumas pessoas podem acabar descontando na próxima refeição, consumindo uma alta quantidade de calorias e desequilibrando a dieta e o organismo.

 

Jejum Intermitente e Resistência à Insulina

Como nos períodos em jejum o corpo não produz insulina, já que não há glicose para ser metabolizada, o jejum intermitente pode ser aliado para evitar a resistência à insulina.

Legumes variadosEsse quadro, que pode evoluir para uma pré-diabetes, ocorre quando o corpo é exposto a picos de glicose e, por consequência, a picos de insulina.

Com o tempo, alguns tecidos do corpo passam a se tornar resistentes a este hormônio e é preciso que ele seja produzido em quantidades cada vez maiores para executar as mesmas funções. Isso leva a sobrecarga do pâncreas

Portanto, se a pessoa segue uma alimentação com períodos mais longos de jejum, ela não terá produção de insulina nesses períodos, o que tecnicamente ajuda a evitar a resistência à insulina.

Vale lembrar que ter uma alimentação rica em alimentos de baixa carga glicêmica traz efeito semelhante, já que ela evita picos de glicemia.

O jejum pode ser indicado inclusive para pessoas com resistência à insulina que queiram controlar o quadro. No entanto, isso deve ser feito com o acompanhamento de um endocrinologista, pois nem todas as pessoas respondem bem a períodos prolongados de jejum.

Além disso, se você toma algum remédio para a resistência à insulina, pode ter hipoglicemia se ficar muito tempo sem se alimentar, o que pode levar a fraqueza, desmaios e outros problemas.

 

Recomendação

“No ponto de vista médico, dependendo do perfil do paciente (se ele estiver acima do peso, tem um estilo de vida em que consegue ficar sem comer e é mais sedentário, ou seja, não precisa de energia para praticar atividade física) propor jejum de 12 a 14 horas não é tão difícil e não vejo problemas, salvo as exceções que já foram citadas. Só é importante ver o perfil físico e psicológico do paciente e ter critério durante as janelas de alimentação”, nutrólogo Roberto Navarro, membro da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN).

 

Contraindicações do jejum intermitente

O jejum intermitente é contraindicado a alguns grupos de pessoas:

 

Mulher e balança

 

Gestantes e Lactantes

Mulheres grávida ou que estão amamentando precisam de um aporte maior de nutrientes. Durante a gravidez, as necessidades do bebê são constantes.

O jejum intermitente na gestação pode levar à desmaios, hipoglicemia e a até o baixo peso do bebê. Já as lactantes precisam de muitos nutrientes, para que possam inseri-los também no leite e garantir que o bebê consiga crescer saudável.

 

Crianças e Adolescentes

Crianças e adolescentes ainda estão em fase de desenvolvimento, portanto precisam de ingestão constante e certa de nutrientes para crescerem e se desenvolverem de forma adequada.

 

Pessoas Com Doenças Crônicas

Medicamentos para doenças crônicas como como diabetes e hipertensão, causam mudanças no metabolismo, o que pode levar a hipoglicemias.

Por isso, quem segue esse tipo de tratamento precisa conversar com o médico, ver se esse tipo de dieta é válida e, caso ela possa ser feita, é preciso antes ajustar a medicação.

Além disso, há um risco maior para os adolescentes: essa fase, devido a questões emocionais e problemas de aceitação, muitos acreditam que um padrão de beleza é a magreza excessiva e podem ser drásticos para chegarem a este objetivo. Seguir um protocolo de jejum pode leva-los ao desenvolvimento de transtornos alimentares graves, como a anorexia.

 

 

Milhões de pessoas que querem emagrecer, assim como você, tentam fazer jejum intermitente, ficam sem comer por horas e acreditam que vão conseguir perder peso com isso.

Mas, a não ser que você domine os verdadeiros pilares do jejum intermitente, nunca irá conseguir obter os resultados de que precisa para realmente emagrecer com saúde.

E se houvesse uma maneira melhor? E se fossem reveladas para você três regras básicas que vão facilitar em 100% a sua prática do jejum intermitente?

 

Como Fazer Jejum Intermitente Para Emagrecer: As 3 Regras Básicas

Existem três grandes motivos que fazem com que as pessoas falhem miseravelmente ao tentar aprender como fazer jejum intermitente:

♥ Ter uma alimentação pobre em nutrientes
♥ Ir com muita sede ao pote
♥ Confundir fome com vontade de comer
♥ Se você conseguir superar esses três erros básicos, o seu caminho para emagrecer e ganhar saúde praticando o jejum irá aumentar consideravelmente.

E a melhor maneira de vencer esses três erros é seguir as 3 regras básicas do JI:

 

Regra #1: Foque Primeiro Em Uma Alimentação Forte

 

Mulher se alimentando saudavelmente

 

O grande erro que as pessoas cometem quando tentam aprender como fazer jejum intermitente é querer ficar longos períodos sem comer estando mal nutridas.

Essas pessoas vêm durante anos se alimentando mal, com fast food, produtos industrializados e comidas com pouco nutrientes.

Aí, de uma hora para outra, resolvem tentar ficar horas sem comer porque ouviram dizer que jejum intermitente emagrece.

Isso é receita certa para o fracasso.

Se você quer realmente emagrecer com o JI, precisa primeiro estar bem alimentado.

Isso significa ter uma alimentação forte.

Significa alimentar-se com comida de verdade: carnes, ovos, hortaliças, frutas, sementes, nozes e castanhas.

Se você não estiver bem nutrido e tentar o jejum intermitente, sua vida vai ser um inferno.

Quando você fica horas sem comer, seu corpo tenta ter acesso aos seus estoques de gordura para suprir a energia necessária para se manter.

Se você estiver comendo porcaria, sua condição metabólica irá dificultar esse acesso do corpo aos seus estoques de gordura.

O resultado? Você vai sentir mais fome e não conseguirá concluir o seu período de jejum.

 

Regra #2: Comece Pequeno e Pelo Mais Fácil, o Jejum Intermitente 12h

 

Prato e relógio

 

O segundo erro de quem tentar saber como fazer jejum intermitente é ir com sede demais ao pote.

São as pessoas que nunca praticaram jejum na vida e de repente tentam ficar 18 ou até 24 horas sem comer.

Praticar o jejum é uma habilidade. E, como toda habilidade, você vai aprendendo aos poucos como dominá-la.

A maneira mais fácil de começar com o jejum para emagrecer é aproveitar o seu período de sono e dar 12 horas de intervalo entre o seu jantar e o seu café da manhã.

Isso é algo tão simples quanto, uma vez na semana, jantar às oito da noite e tomar café às oito da manhã.

Sim. Isso é tudo o que você precisa para começar. Escolher um dia da semana, jantar às 20h e tomar café da manhã às 8h do dia seguinte.

Parabéns, você completou com sucesso o seu primeiro jejum intermitente!

O que fazer em seguida? Ampliar a prática para duas vezes na semana.

E depois?

Ampliar o tempo de jejum para 16 horas.

Isso significa jantar às 20h, pular o café da manhã, e almoçar ao meio-dia.

Pronto, agora você fez um jejum intermitente de 16 horas, um protocolo que já apresenta diversos benefícios para a saúde. Incluindo a perda de peso.

 

Regra #3: Entender a Sua Sensação de Fome

 

Homem pensando o que comer

 

O terceiro grande erro de quem quer saber como fazer jejum intermitente para emagrecer é confundir fome com vontade de comer.

Imagine que, durante toda a sua vida, você sempre tomou café da manhã. Isso já se tornou um hábito seu.

Quando você, bem alimentado, resolve pular o café da manhã em determinado dia da semana, o que acontece?

Se você realmente estiver bem nutrido, conforme explicado na Regra #1, dificilmente sentirá fome fisiológica.

Mas você pode sentir a chamada fome psicológica, a popular vontade de comer.

Isso acontece não por que o seu corpo precisa de nutrientes, mas sim por que você está sentindo falta do hábito de comer alguma coisa naquele horário.

Aprenda a entender a sua sensação de fome para conseguir distinguir as duas coisas e a sua prática do jejum intermitente será muito mais fácil.

 

Com 16 horas de jejum intermitente, você já obterá boa parte dos benefícios da prática, tais quais queima de gordura acelerada, aumento da sensibilidade a insulina, sensação de bem-estar e saciedade e mais energia e aumento do metabolismo basal.

Se você precisa de ainda mais orientação, confira o e-book  Método Fator R7, que contém um Plano Alimentar Completo, que levarão vocês a perderem até 3kg em 07 Dias, Receitas de Chás para ajudar na queima de gordura localizada, acelerar o metabolismo, tirar a retenção de líquido entre outros. Total de 8 E- BOOKS pelo preço de 1.

Aproveite essa SUPER PROMOÇÃO que o nosso blog está dando.

 


 

ADQUIRA O MÉTODO FATOR R7 DE JEJUM INTERMITENTE ATÉ HOJE E GANHE UM SUPER DESCONTO

 

 

SUper Promoção

 

 

E se Você Aproveitar HOJE, além do Desconto Vai Receber + 7 BÔNUS INCRÍVEIS,

que vão Acelerar seu Processo de Emagrecimento.

 

 

Botão Comprar com Desconto