Amigurumi: Saiba Como Fazer e Veja Dicas Práticas

Amigurumi: Saiba Como Fazer e Veja Dicas Práticas

Como não amar um bichinho fofo feito de tricô? Eles são apaixonantes e atendem pelo nome de Amigurumi, uma junção de palavras de origem japonesa que significa “ami” – “tricô” ou “malha” e “nuigurumi”- “bichos de pelúcia”. Ou seja, podemos traduzir amigurumi como “bichos de pelúcia de tricô”.

Já faz algum tempo que os amigurumis surgiram lá no Japão, mas foi só recentemente que eles passaram a ganhar fama por aqui. Confeccionados geralmente com linhas de algodão, os amigurumis podem ter as mais variadas cores e formatos. Mas eles possuem algumas características que os tornam inconfundíveis.

Uma delas é que os bichinhos geralmente possuem formas esféricas e cilíndricas. Outra particularidade são a cabeça e os olhos grandes, evidenciados em relação ao restante do corpo. Os amigurumis também são baixinhos, seu tamanho varia entre 10 e 30 centímetros.

Feitos geralmente para decoração de quartos, os amigurumis são uma excelente oportunidade de artesanato para vender. Para você ter uma ideia, o preço de venda de um amigurumi varia entre R$ 70 a R$ 250, dependendo do tamanho e do formato.

Seja para vender, presentear ou mesmo como um hobbie, vale a pena aprender a fazer um amigurumi. Por isso trouxemos nesse post muitas dicas e tutoriais para quem deseja se aventurar por esse artesanato japonês. Embarque nessa com a gente: Curso Meu Amigurumi

 

Como Fazer Amigurumi

Em um primeiro momento a técnica do amigurumi pode assustar os iniciantes. De fato é importante ter algum conhecimento de tricô antes de começar, mas isso não quer dizer que é impossível fazer um amigurumi. A receita do sucesso é ter persistência e dedicação, mesmo que você tenha que começar do zero.

E o ponto de partida para fazer um amigurumi é saber escolher os melhores materiais para esse trabalho. Confira as dicas para não errar nessa primeira etapa: Curso Meu Amigurumi

 

Materiais Necessários Para Fazer o Amigurumi

 

Passarinhos amigurumisBasicamente, para fazer um amigurumi você vai precisar de apenas linhas, agulhas e enchimento acrílico. Alguns outros materiais adicionais necessários são tesoura, fita métrica, botões, feltro e cola para dar o acabamento final aos bichinhos.

A linha mais recomendada para fazer o amigurumi é a de algodão, mas você também pode optar por linhas de lã. O importante é saber que quanto mais fina a linha, mais delicado será o resultado. As linhas mais grossas, por sua vez, são mais indicadas para quem está começando.

Já no que diz respeito as agulhas, funciona mais ou menos assim: agulhas grossas para fios grossos e agulhas finas para fios finos. Mas não se preocupe muito com isso, a embalagem da linha traz a indicação do tipo de agulha deve ser utilizada.

 

Passo a Passo de Como Fazer Amigurumi

Agora que você já sabe o que precisa ter em mãos antes de começar a fazer o seu amigurumi, o que acha de conferir alguns tutoriais com o passo a passo da técnica? Fica bem mais fácil começar com quem já sabe o que está fazendo. Confira cinco ideias para se inspirar e se motivar: Curso Meu Amigurumi

 

Amigurumi Para Iniciantes

Esse curso foi feito especialmente para quem ainda está começando a aprender a técnica do amigurumi. Você vai aprender os pontos básicos para produção dos bichinhos que são o anel mágico, o aumento e a diminuição. Confira:

Fofos, coloridos e cheios de possibilidades. Os amigurumis são assim: um artesanato que encanta a todos e ainda por cima muito rentável, podendo se tornar uma ótima fonte de renda extra. Para dar vida a essas fofuras você vai precisar apenas de uma dose de dedicação e criatividade. Por isso, selecionamos as melhores ideias de amigurumis para você se inspirar. Confira:

 

Materiais Básicos

 

Linhas

A escolha da linha é sem dúvidas a etapa mais importante antes de começar os pontos do amigurumi. No começo, quando você ainda não tem tanta experiência, o ideal é escolher uma linha mais grossa. Como os pontos são pequenos, é legal que você consiga enxergar todo o trabalho. A linha mais grossa vai facilitar esse processo e também os movimentos da mão na hora de fazer o crochê.

Outra dica legal é investir nas linhas claras para as primeiras peças. Isso porque com a linha mais clara, fica mais fácil contar os pontos, casa e fileiras que você já fez, evitando se perder no meio do processo.

Sempre escolha linhas 100% algodão, como a linha Duna, que tem uma espessura média ideal para começar.

 

Linhas de crochê

 

Agulhas

Normalmente o próprio pacote de linha indica o tamanho ideal de agulha para o trabalho, mas essa indicação não precisa ser seguida à risca. Antes de qualquer coisa, escolha uma agulha que fique confortável na sua mão. Afinal, o trabalho em crochê demanda inúmeros pontinhos e uma agulha ruim pode machucar seus dedos.

Para pessoas com tendinite é indicado usar agulhas de metal com o cabo revestido em borracha ou plástico. Além de dar muito mais conforto para os dedos, o cabo vai facilitar a pegada e agilizar o processo.

 

Agulhas de crochê

 

Outra coisa muito importante que você precisa saber antes de comprar uma agulha é que o tamanho dela e a espessura da linha determinam o tamanho da peça. A linha mais grossa deixa a peça mais volumosa por si só, e com a ajuda de uma agulha grande, cria espaços maiores entre os pontos. Já a agulha menor, deixa os pontos mais juntinhos.

Veja abaixo duas bolinhas feitas com o mesmo número de pontos. A bolinha maior, na cor roxa, foi feita com a linha duna e agulha de 2,5mm. Já na bolinha amarela foi usada a linha anne, que é bem mais fina, com a agulha de 1,5mm.

 

Modelos de bolinhas de crochê

 

Para começar, o tamanho ideal é 2,5mm. Mas se possível, tenha duas agulhas de tamanhos opostos em casa. Isso vai te dar mais possibilidades na hora de criar.

 

Enchimentos

Os bichinhos de crochê precisam ser preenchidos com um material bem leve e fofinho. A maioria dos artesãos prefere usar a fibra siliconada, que é um material barato. A fibra siliconada é muito usada para encher almofadas e principalmente no artesanato em feltro.

No mercado você também encontra também a fibra seca. É fácil notar a diferença entre as duas já no toque. A siliconada é o que chamamos de fibra 100% virgem. Ela é mais soltinha e muito mais macia que a seca. A fibra de silicone vai deixar o seu amigurumi muito mais fofinho.

Além do enchimento em fibra, você pode usar a própria para preencher seus bichinhos. Sabe aqueles pedacinhos e pontinhas que vão sobrando durante o trabalho? Vá guardando todos eles num potinho e, com o tempo, você vai ter lã suficiente para encher um amigurumi inteiro.

 

Detalhes e Olhinhos

Na hora de enfeitar seus bichinhos ou criar os olhinhos para seus amigurumis, você pode viajar nas opções. Os mais comuns são os olhinhos muito usados para as bonecas em feltro, que são meia pérolas pretas com a base reta. Para aplicar na peça de crochê você pode usar cola universal para artesanato. Você encontra essas bolinhas pretas de vários tamanhos em qualquer armarinho.

Existem também os olhos com pino de segurança, que são aquelas bolinhas pretas com uma pequena pontinha que lembra um parafuso. Ao contrário da meia pérola, você não precisa colar por cima do crochê, e sim “atarrachar” o cabinho para dentro do enchimento, e encaixar numa porquinha de plástico que já vem com os olhos.

Se estiver fazendo um bichinho para uma criança, essa é a melhor opção porque os olhos ficam bem fixos na peça e não corre o risco dela conseguir tirar.

Você pode usar também as clássicas miçangas, pode pregar botões e também pode criar os olhinhos com retalhos de feltro. Basta cortar as bolinhas nas cores e tamanhos que preferir, e fixar com cola universal.

 

Amigurumis Lindos

 

É impossível não se apaixonar por essa arte de criar bichinhos com crochê, não é? É por isso que esse artesanato faz tanto sucesso por aí. E agora que você aprendeu um pouco sobre como fazer amigurumi, só falta colocar a mão na massa. Escolha um modelo bem simples e comece já a praticar os pontinhos!

A melhor parte é que atualmente é possível encontrar várias receitas disponíveis para fazer os mais belos bonequinhos. Além disso, você pode fazer amigurumis sob encomenda e vender para amigas, colegas ou mesmo pela internet, dando uma complementada na sua renda.

 


 

Aprenda a CRIAR e LUCRAR com Amigurumis.

Preparamos os melhores modelos passo a passo
para você!

 

+ DE 1000 MODELOS DE AMIGURUMI
Você vai ter acesso aos melhores modelos GRATUITOS aos nossos alunos: Bonecas, bichinhos, animais, chaveiros, personagens de desenhos e etc.

 

Botão Comprar Agora

 

 

TDAH: Veja os Sintomas de Déficit de Atenção

TDAH: Veja os Sintomas de Déficit de Atenção

O que é TDAH?

O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) (CID F90) é um transtorno neurobiológico caracterizado pela combinação de sintomas de desatenção, hiperatividade (inquietude motora) e impulsividade.

O TDAH aparece na infância e na maioria dos casos acompanha o indivíduo por toda a vida. A apresentação predominantemente desatenta é conhecida por muitos como DDA (Distúrbio do Déficit de Atenção).

É importante dizer que o TDAH não é uma doença, portanto, não existe uma cura para solucioná-lo e sim um tratamento para melhor conviver com ele.

Os sintomas de TDAH podem se manifestar no início da infância; no entanto, o diagnóstico pode ficar mais evidente a partir do momento que a criança vai para a escola, pois a criança com TDAH pode apresentar dificuldade em prestar atenção à aula, responder as questões sem terminar de ler e não conseguir ficar parado.

 

Sintomas de TDAH

O DSM-5 tem alguns critérios que definem o diagnóstico de uma criança ou adulto com TDAH.

Em primeiro lugar, é necessário que a pessoa apresente um padrão persistente de desatenção e/ou hiperatividade-impulsividade que interfira no funcionamento e no desenvolvimento.

Para tanto, ela precisa apresentar sintomas destes dois aspectos.

 

Sintomas Comuns de Desatenção:

• Deixar de prestar atenção a detalhes ou comete erros por descuido em atividades escolares, de trabalho ou durante outras atividades
• Ter dificuldade de manter a atenção em tarefas ou atividades lúdicas
• Não escutar quando lhe dirigem a palavra
• Não seguir instruções e não termina deveres de casa, tarefas domésticas ou tarefas no local de trabalho
• Ter dificuldade para organizar tarefas e atividades
• Evitar, não gostar ou relutar em se envolver em tarefas que exijam esforço mental prolongado (tarefas escolares, deveres de casa, preparo de relatórios etc.)
• Perder objetos necessários às tarefas ou atividades
• Ser facilmente distraído por estímulos externos (para adolescentes mais velhos e adultos pode incluir pensamentos não relacionados)
• Ser esquecido em relação a atividades cotidianas.
• Remexer ou batucar mãos e pés ou se contorcer na cadeira
• Levantar da cadeira em sala de aula ou outras situações nas quais se espera que permaneça sentado (sala de aula, escritório, etc.)
• Correr ou subir nas coisas, em situações onde isso é inapropriado ou, em adolescentes ou adultos, ter sensações de inquietude
• Ser incapaz de brincar ou se envolver em atividades de lazer calmamente
• Não conseguir ou se sentir confortável em ficar parado por muito tempo, em restaurantes, reuniões, etc.
• Falar demais
• Não conseguir aguardar a vez de falar, respondendo uma pergunta antes que seja terminada ou completando a frase dos outros
• Ter dificuldade de esperar a sua vez
• Interrompe ou se intrometer em conversas e atividades, tentar assumir o controle do que os outros estão fazendo ou usar coisas dos outros sem pedir.

 

Blocos de brinquedo TDAH

 

Em geral, é preciso que a criança apresente seis ou mais desses sintomas por mais de seis meses antes de ser feito o diagnóstico. Já em adultos ou adolescentes (com mais de 17 anos), é preciso apresentar apenas cinco destes sintomas.

Vários sintomas de desatenção ou hiperatividade-impulsividade estavam presentes antes dos 12 anos de idade e em mais de dois ambientes, como a casa, escola, trabalho, com amigos.

É preciso haver evidências claras de que os sintomas interferem no funcionamento social, acadêmico ou profissional ou de que reduzem a sua qualidade. E os sintomas não devem ser mais explicados dentro de outro transtorno mental, como transtorno bipolar, transtorno de personalidade, entre outros.

 

Tipos

O TDAH pode se apresentar com sintomas de desatenção e de hiperatividade ou impulsividade. De acordo com a quantidade desses sintomas, podemos classificar o TDAH em três subtipos:

Apresentação combinada: Se tanto os critérios de desatenção e hiperatividade-impulsividade são preenchidos nos últimos 6 meses
Predominantemente desatento: quando os critérios de desatenção é preenchido nos últimos seis meses, mas os critérios de hiperatividade não são
Predominantemente hiperativo-impulsivo: quando os critérios de hiperatividade é preenchido nos últimos seis meses, mas os critérios de desatenção não são

Além disso, a pessoa pode ter três diferentes graus de TDAH:

Leve: Poucos sintomas estão presentes além daqueles necessários para fazer o diagnóstico, e os sintomas resultam em não mais do que pequenos prejuízos no funcionamento social, acadêmico ou profissional
Moderado: Sintomas ou prejuízo funcional entre “leve” e “grave” estão presentes
Grave: Muitos sintomas além daqueles necessários para fazer o diagnóstico estão presentes, ou vários sintomas particularmente graves estão presentes, ou os sintomas podem resultar em prejuízo acentuado no funcionamento social ou profissional.

 

Criança estudando

 

 

Causas

Quais são as causas do TDAH?

♦ Fatores genéticos
Anormalidades cerebrais
♦ Baixo peso ao nascer
♦ Mãe fumante na gravidez
♦ Abuso infantil
♦ Negligência
♦ Múltiplos lares adotivos
♦ Exposição a neurotoxinas (chumbo).

O TDAH é um dos transtornos psiquiátricos mais bem estudados no mundo. Entretanto, existe um questionamento contínuo sobre a sua origem e até o momento não há um consenso científico sobre as suas reais causas, ou seja, quanto a ele ser inato (genético) ou adquirido (ambiental).

Considerando-se que o TDAH é um transtorno heterogêneo (manifesta-se de inúmeras formas) e dimensional (os sintomas se combinam nos mais variados graus de intensidade) é possível inferir a complexidade da questão, com múltiplas causas e fatores de risco.

Assim, ainda continua difícil precisar a influência e a importância relativa de cada fator no aparecimento do transtorno, havendo necessidade de mais pesquisas sobre o tema.

 

Tratamento de TDAH

O tratamento precoce do TDAH é o “ponto-chave” para que a vida daqueles que têm o transtorno seja mais saudável, produtiva e com mais qualidade. Por isso é imprescindível que os sintomas sejam logo identificados e tratados corretamente.

 

Prevenção

A Neurociência ainda não sabe dizer ao certo de que forma é possível prevenir a ocorrência de TDAH. O que se conhece hoje são formas que ajudam a reduzir o risco de seu filho desenvolver o distúrbio.

Confira alguns exemplos:

♥ Durante a gravidez, evite fazer uso de substâncias que possam prejudicar o desenvolvimento fetal. Não beba bebidas alcoólicas, evite cigarros e outras drogas. Evite, também, a exposição a toxinas ambientais
♥ Proteja seu filho da exposição a poluentes e toxinas, incluindo a fumaça de cigarro, produtos químicos agrícolas ou industriais e chumbo.

 


 

Invista em conhecimento, estratégias e atividades para lidar com crianças que têm TDAH

 

O curso “TDAH com estratégias e atividades” é 100% online e foi desenvolvido em uma linguagem fácil, numa abordagem direta, com muitos exemplos, situações e atividades.

 

Botão Comprar Agora

 

 

Reeducação Alimentar: Emagreça com Apenas 3 Simples Passos

Reeducação Alimentar: Emagreça com Apenas 3 Simples Passos

A melhor maneira de emagrecer sem correr o risco de engordar novamente é através de uma reeducação alimentar, pois dessa forma é possível diminuir o volume de comida nas refeições. Assim, é possível emagrecer com saúde, sem ter de recorrer a remédios ou cirurgia para emagrecer.

No entanto, para que os resultados sejam definitivos, é importante que a mudança nos hábitos alimentares seja acompanhada pela prática de atividade física regular.

A reeducação alimentar é a melhor receita para emagrecer com saúde, e consiste em comer alimentos saudáveis e diminuir o consumo de alimentos industrializados, refrigerantes, frituras e alimentos ricos em açúcar.

O passo a passo para conseguir fazer uma reeducação alimentar consiste em:

 

1. Beber 2 Litros de Água Por Dia

A hidratação com água é muito importante porque a água não tem calorias e limpa as toxinas do corpo, facilitando a desintoxicação. O ideal é beber de 1,5 a 2 litros de água, mas se você tem alguma dificuldade em beber toda essa água, experimente colocar um pedacinho de gengibre ou espremer meio limão numa garrafa de água gelada e ir bebendo vários goles durante o dia.

 

2. Comer de 3 em 3 Horas

Comer a cada 3 horas é o ideal porque assim o nível de glicose no sangue é mais estável e você sente menos fome e consegue se concentrar melhor na escola ou no trabalho.

Para conseguir comer a cada 3 horas deve-se consumir uma menor quantidade de alimentos em cada refeição, que deve ser composta por café da manhã, lanche do meio da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar e ceia.

 

3. Reeducar o Paladar

Para escolher melhor os alimentos você deve reeducar o paladar.

Experimente receitas novas e opte sempre pelos integrais, porque diminuem a fome além de regular o intestino, e deixe de comer em fast food e as frituras. Coma pelo menos 2 frutas por dia, elas são ótimas como sobremesa.

Para que essas mudanças sejam implementadas no dia-a-dia deve fazer-se 1 mudança por semana até que ela se torne um hábito que será adotado para sempre.

 

Por Onde Começar?

O primeiro passo é conseguir identificar quais são as mudanças necessárias na sua alimentação para torná-la mais saudável.

Um exemplo seria trocar alimentos gordurosos e ricos em calorias por alimentos mais nutritivos.

O objetivo é fazer com que o seu organismo se adapte ao novo estilo de alimentação, mas que também consiga obter os nutrientes essenciais que precisa para funcionar perfeitamente de uma maneira mais saudável.

 

Reeducação Alimentar Ajuda a Emagrecer?

 

Balança com alimentos

 

Sim, a reeducação pode ser a maneira mais simples de emagrecer com saúde, mas não é algo rápido. É preciso ter paciência.

Através desse modelo de alimentação, você irá olhar para os alimentos de forma diferente e dará chances para versões mais saudáveis, como frutas, verduras e legumes.

Com isso, as principais e primeiras mudanças vão acontecer na sua mente, mas consequentemente vão refletir na balança e nas medidas.

Além disso, mesmo após a pessoa atingir o seu objetivo de emagrecer, a reeducação é importante para que a pessoa mantenha o peso, evitando o efeito sanfona.

 

Cardápio: O Que Comer Para Fazer Uma Reeducação Alimentar?

O ideal é que você consiga comer todos os tipos de alimentos, mas sempre preferindo opções mais saudáveis, essencialmente alimentos do tipo in natura, que são os alimentos naturais. Além disso, o consumo de água também é importante na reeducação alimentar. Veja abaixo:

 

Frutas Frescas♦ Frutas;
♦ Verduras;
♦ Legumes;
♦ Peixes;
♦ Carnes magras;
♦ Oleaginosas: nozes, amêndoas, pistaches.

Esses grupos de alimentos listados acima podem contribuir para que essa reeducação do organismo seja possível.

Os alimentos vegetais, como as frutas, legumes, verduras e também as oleaginosas, são importantes porque fornecem uma boa quantidade de energia e nutrientes sem trazer os excessos de calorias e gorduras que os alimentos ultraprocessados têm.

 

 

Os Principais Vilões e Mocinhos na Alimentação Saudável

Os são os piores alimentos consumidos atualmente, que deveriam ser evitados a qualquer custo:

• Alimentos ultra processados (sucos em pó, embutidos, biscoitos recheados, refrigerantes, salgadinhos, nuggets, molhos prontos), que passam por muitas modificações até chegarem à mesa.

• O açúcar e a gordura, combinação que, para a indústria, é um trunfo e, para os consumidores, a verdadeira desgraça.

• Doces de padaria, pães, pizza, bolos, tortas são alimentos feitos com gordura vegetal e que possuem uma carga glicemia muito alta, aumentando o risco de obesidade, diabetes, doenças cardiovasculares e compulsão alimentar.

 

Cardápio Saudável

 

Mulher segurando prato

 

Café da manhã

Opção um: 1 copo de 200ml de suco verde (abacaxi com couve + gengibre em raspas ) + 2 unidades de torrada integral + 2 colheres (chá) de queijo cottage.

Opção dois: 200ml de suco de frutas vermelhas (polpa congelada) + 2 unidades grandes de bolacha de arroz + 1 colher (sopa) de queijo cottage + 1 xícara pequena de café.

Opção três: 200 ml de suco de maçã verde com couve e raspas de gengibre + 1 fatia de pão integral + 1 colher (sopa) de queijo cottage + 1 xícara pequena de café.

 

Colação

Opção um: 200ml de chá verde.

Opção dois: 200ml de chá Matchá.

Opção três: 200ml de chá de hibisco.

 

Almoço

Opção um: Salada de folhas verdes, tomate, pepino + 3 colheres (sopa) de legumes cozidos + 1 filé médio (200g) de frango + 3 colheres (sopa) de arroz integral + 2 colheres (sopa) de feijão.

Opção dois: 1 prato de sobremesa de salada de agrião, tomate cereja, cenoura crua, lentilhas cozidas + 1 xícara média de brócolis cozido + 1 filé médio (150g) de bife de carne sem gordura + 1 xícara média de macarrão parafuso integral.

Opção três: 1 prato de sobremesa de salada de rúcula, tomate, palmito + 1 filé grande (200g) de salmão grelhado + 3 colheres (sopa) de batata cozida e salteada no azeite extravirgem (salpicar salsinha).

 

Lanche da Tarde

Opção um: 2 unidades de castanhas do Brasil + 3 unidades de amêndoas + 5 unidades de semente de abóbora + 2 unidades de damasco seco + 1 copo pequeno de iogurte desnatado.

Opção dois: liquidificar 200ml de leite desnatado + 2 castanhas do Brasil + 3 amêndoas + 5 sementes de abóbora + 1 fruta pequena.

Opção três: 1 taça média (ou mais ou menos 5 colheres de sopa) de salada de frutas. Polvilhar com 1 colher (sopa) de quinoa em flocos + 2 castanhas do Brasil + 5 sementes de abóbora.

 

Jantar

Opção um: 4 colheres (sopa) de tapioca hidratada recheada com salada de folhas verdes + tomate + frango desfiado + 165ml de suco de limão.

Opção dois: 1 prato de sobremesa de salada de folhas verdes + tomate + pepino + palmito + omelete de 1 ovo inteiro e 1 clara recheado com espinafre + 165ml de chá de hibisco.

Opção três: 1 prato de sobremesa de salada de folhas verdes + cenoura crua ralada + tomate cereja + 1\2 berinjela média assada recheada com carne moída + 165ml de suco de melancia.

 

Ceia:

1 xícara média de chá de alecrim + lactobacilos (1 garrafinha Yakult) + 1 fruta pequena.

 

Atividade Física

Para complementar seu processo de reeducação alimentar, combine ele à pratica de atividades físicas. Dessa maneira, além de ajudar o corpo, você ainda acelera seu metabolismo e ajuda a reduzir medidas no corpo quando o propósito é emagrecimento.

A atividade física em si já faz bem para o organismo e auxilia na queima de grandes calorias. Independente de qual for, alinhar ela a alimentação é uma combinação espetacular. Em soma, com uma maior queima de calorias, você ainda fica livre para, de maneira controlada, comer algumas coisinhas que gosta a mais.

 


 

 

DESCUBRA COMO EMAGRECER DE MANEIRA

CORRETA E EFICAZ EM PLENA QUARENTENA!

 

Finalmente algo para ajudar VOCÊ a emagrecer do jeito certo e rápido,
sem sair do conforto da sua casa!

 

 

Botão comprar agora

 

 

Saiba Proteger Seu Cabelo do Ressecamento do Shampoo Fazendo Pré-Poo

Saiba Proteger Seu Cabelo do Ressecamento do Shampoo Fazendo Pré-Poo

Você já deve estar careca de saber que lavar o cabelo todos os dias pode ressecá-los, né? Além de intercalar os dias de lavagens, uma super dica que nós vamos dar hoje é fazer um pré-poo antes do banho. Não sabe o que é? Vem cá: o método foi inventado pelas gringas e significa “antes do shampoo”. Na prática, são tratamentos bem rapidinhos – dá para fazer dentro do box – que vão proteger seus fios (seco, ressecado e sensível) dos sulfatos do cosmético e ao mesmo tempo permitir que eles fiquem bem limpos. Quer aprender a fazer? Então fica de olho aqui!

 

O Que é Pré-poo?

Como o próprio nome sugere, o pré-poo é um tratamento que você faz antes do shampoo. Ou seja: é algo que irá cuidar dos seus fios e, ao mesmo tempo, protegê-los das ações indevidas dos surfactantes contidos no seu produto de lavagem.

A cada dia que passa está virando rotina nos cuidados dos cabelos principalmente das cacheadas. Mas as lisas (como eu) e cabelos com químicas também só tem a ganhar com ela.

 

Qual o Principal Benefício do Pré-Poo?

O pré-poo preserva muito as pontas dos seus fios! Pois além de doar nutrição, vai promover uma espécie de blindagem, prevenindo o ressecamento. Além disso, se você faz alguma química como alisamentos ou coloração, a duração será maior e você manterá a fibra capilar mais forte e menos suscetível à quebra.

 

Qualquer Tipo de Cabelo Pode Fazer o Pré-Poo?

Sim, todos os tipos de cabelos podem fazer o Pré-poo. Claro que, dependendo do seu tipo, a misturinha vai variar com ingredientes mais ou menos potentes, para tratar cada caso específico.

Por exemplo, existem Pré-poos para cabelos com danos, pré-poos mais hidratantes para cabelos com menos danos, pré-poos mais nutritivos caso seus fios sejam muito ressecados… Enfim: cada caso é um caso, mas todos podem obter benefícios!

 

Quais os Melhores Ingredientes Para Fazer Pré-Poo?

Como dissemos, depende do seu tipo de cabelo. Porém, o básico para um bom pré-poo é:

♥ uma base branca neutra (um creme de hidratação ou condicionador de sua preferência);
♥ uma fonte de nutrição (óleos ou manteigas vegetais);
♥ e uma fonte de hidratação (vitaminas, soro fisiológico, chás, água, etc).

 

 

O Pré-Poo Tem Contra-Indicação?

São poucas as observações para quem quer fazer a técnica sem correr riscos: usar a medida certa de produtos, ter atenção aos ingredientes utilizados e respeitar a necessidade dos fios. Ah! Outro ponto: a mistura pode e deve ser aplicada da raiz às pontas, massageando bem o couro cabeludo, só evite essa região se você sofrer com oleosidade excessiva.

Tirando esses pontos, não há contraindicações na realização do Pré-poo.

 

E O Que Posso Esperar de Resultados / Benefícios?

É claro que o pré-poo sozinho não substitui um bom Cronograma Capilar, mas serve como um complemento para garantir a saúde dos fios da raíz às pontas! Com ele você terá:

♥ Fios mais fortes e protegidos;
♥ Nutrição e Hidratação intensa;
♥ Proteção contra os efeitos dos sulfatos pesados;
♥ Efeitos prolongados das químicas (alisamentos e colorações);
♥ Combate ao frizz;
Cutículas mais seladas e resistentes;
♥ Brilho intenso;
♥ Pontas bem cuidadas;
♥ Praticidade.

 

Qual a Diferença Entre Pré-Poo e Tratamentos Normais?

Os tratamentos normais devem ser feitos após a lavagem com shampoo, quando as cutículas estão bem abertas e aptas a receberem os nutrientes. Já o pré poo, é uma preparação, como se fosse uma “blindagem” de proteção. É você tornando seu cabelinho mais forte pra guerra!

 

Posso Finalizar o Cabelo Com Escova e Chapinha?

Sim! O Pré-poo, por ser um tratamento feito antes da lavagem, não terá seu efeito alterado na hora da finalização. Mas atenção: essa técnica não dispensa usar leave-ins e protetores térmicos na hora da fonte de calor, ok?

É extremamente necessário que você utilize tais produtos de proteção, normalmente, para não correr o risco de danificar seus cabelos. O mesmo serve para cacheadas e crespas que curtem secar os fios com difusor: o Pré-poo é uma super ajuda, mas os cuidados na hora da secagem permanecem os mesmos, ok?

 

Viu só quantos ótimos motivos você tem para testar o Pré-poo agora mesmo? Experimente e veja como seus fios agradecerão esse carinho a mais na sua rotina de cuidados!

 


 

As Melhores Hidratações Caseiras

E os Segredos Mundiais Você Encontra

Logo no Botão Abaixo

 

O Guia – As Melhores Hidratações Caseiras e Os Segredos Mundiais

Foi criado para mudar o seu cronograma capilar!

 

Aproveite a promoção de lançamento que está imperdível!

 

Botão Comprar Agora

 

 

 

Nutrição Capilar de Salão em Casa: Saiba Como Fazer

Nutrição Capilar de Salão em Casa: Saiba Como Fazer

A nutrição é a etapa de cuidados com o cabelo que devolve o brilho dos fios que foi perdido com alisamentos e outros processos químicos.

Fazer uma nutrição nos cabelos ajuda a acabar com o aspecto ressecado, armado e também com o frizz das madeixas. A técnica ficou conhecida por ser a segunda etapa do cronograma capilar (clique aqui para saber mais), vindo após a hidratação feita semanalmente com máscaras de tratamento, mas também pode ser feita fora da agenda de tratamentos com os fios. Nutrir o cabelo significa devolver os lipídeos e as proteínas que ele perde naturalmente ou através de procedimentos químicos e outros processos, por isso, é preciso suprir essa necessidade com óleos e outros componentes nutritivos. Saiba como fazer em casa!

 

Nutrição Complementa a Hidratação nos Cuidados Com os Cabelos

Muita gente aposta somente na hidratação com máscara de tratamento para cuidar dos cabelos, mas a nutrição promete potencializar esses efeitos, além de deixar a estrutura do fio mais forte e saudável. Por isso, a dica é combinar uma técnica com a outra e fazer um cronograma capilar para que os cuidados com as madeixas sejam mais eficazes.

Quem está com o cabelo com aparência muito danificada pode aproveitar que investiu nessa combinação e acrescentar a etapa da reconstrução, para completar o chamado cronograma capilar. Esta fase dá força ao cabelo e livra de quedas, através de produtos com queratina, ativo que recompõe a fibra do fio.

 

Saiba Como Fazer a Nutrição em Casa

A maior diferença entre fazer a nutrição no salão de beleza e em casa é o cuidado do profissional ao aplicar os produtos no cabelo, hábito que pode ser aperfeiçoado em casa. Nutrir os cabelos é um ato que começa na lavagem dos fios e termina na finalização, ou seja, é preciso em uma linha completa para cabelos resssecados, com shampoo, condicionador, máscara de tratamento e finalizador, e o ideal é que contenham óleos naturais em sua composição. Ele vai entregar mais brilho e maciez aos cabelos, além de ajudar na recarga dos lipídeos. Confira:

1 – Primeiro, lave os cabelos com um shampoo de nutrição, massageando o couro cabeludo normalmente com as pontas dos dedos, enxaguando, ao final, com água fria para ajudar no banho de brilho.

2 – Depois do shampoo, é a vez da máscara capilar, que vai preencher a fibra e repor massa aos fios. Aplique o produto mecha por mecha, somente no comprimento, massageando suavemente. Deixe agir pelo tempo que pedir na embalagem, e enxague com água fria.

3 – Em seguida, aplique o condicionador para selar as cutículas do cabelo e garantir ainda mais maciez.

4 – Na hora da finalização, não esqueça do óleo capilar. O finalizador também tem ativos que ajudam a potencializar a nutrição, além de selar qualquer ponta dupla e entregar mais brilho nos fios após secarem.

 

Nutrição Pode Ser Feita em Qualquer Tipo de Cabelo

A nutrição pode ser feita por qualquer pessoa que sinta o cabelo sem brilho, com os fios ásperos ao toque e com bastante frizz, tanto na raiz quanto no comprimento. Outro motivo para fazer a nutrição é quando sentir que o cabelo fica armado e sem forma, em vez de criar um volume bonito e equilibrado depois de seco. As cacheadas e crespas são as que mais fazem a nutrição em casa por conta dos fios naturalmente ressecados, mas quem tem madeixas lisas, onduladas também pode aderir á técnica.

 

Nutrindo o Cabelo

 

A nutrição é a fase do Cronograma Capilar responsável pela reposição lipídica (certos tipos de nutrientes) dos fios, responsáveis por “guardar” a água recebida na hidratação.

Um cabelo bem nutrido apresenta, além do aspecto saudável, volume controlado, pouco ou nenhum frizz e, em cabelos cacheados, geralmente os cachos ficam bem mais lindos e definidos quando o cabelo está em dia com a nutrição.

 

Nutrição com Azeite de Oliva Extra-virgem

O azeite de oliva é rico em vitaminas A, D K e E e possui alto poder antioxidante. Nos cabelos, ele auxilia na manutenção da água no interior dos fios (a nutrição é pra ajudar a reter a água nos fios, evitando o ressecamento).

É muito importante usar o azeite extra-virgem pois ele possui seus nutrientes de modo integral, não sofreu perda de qualidade e não foi adulterado com outros óleos, sendo assim, ele é mais potente no tratamento capilar.

O azeite pode ser usado tanto para umectação (uso do óleo puro, que é deixado no cabelo durante algumas horas) ou misturado com cremes de hidratação ou nutrição, que seja mais fraco, para potencializar.

 

Nutrição com Óleo de Rícino

O óleo de rícino, quando usado na raiz (sempre massageando bem e nada de exageros, apenas a quantidade suficiente para todo o couro cabeludo) é excelente para ajudar a reduzir a queda de cabelo, contribuir para o fortalecimento capilar, estimular o crescimento dos fios e fazê-los crescer mais grossos.

Como nutrição, ajuda a combater o ressecamento e reduzir o frizz. Assim como o azeite de oliva, pode ser usado tanto puro quanto misturado ao creme, e tem um excelente efeito nutritivo em ambos os casos, embora meu cabelo apresente melhor resultado quando eu o utilizo puro.

O óleo de rícino natural que não passou por nenhum processo industrial, apresenta cheiro muito forte, o que pode causar repulsa em algumas pessoas. Além disso, ele possui consistência bem grossa, o que pode dificultar bastante a mistura em cremes.

 

Como Saber Se o Cabelo Precisa De Nutrição?

A primeira coisa que você vai fazer é olhar pro seu cabelo. Ele está com muito frizz, tá desalinhado e sem definição, tá sem brilho, tá com o volume “descontrolado” ou tá poroso? Ele precisa de nutrição!

Agora sinta seu cabelo, tente sentir a textura dele… Um cabelo bem nutrido fica mais sedoso, mais “molinho” e os dedos deslizam mais facilmente, e se isso não acontece, se ele parece meio duro, é hora de investir numa boa nutrição!

E aqui já aviso que o fato de precisar de nutrição não significa que ele não precise também de hidratação e/ou de reconstrução, e o ideal é, na maioria dos casos, buscar máscaras mais balanceadas, que tragam ativos que façam não só a reposição lipídica, mas também a reposição hídrica e a protéica.

 

Benefícios

São muitos os benefícios de realizar a nutrição capilar. Um deles é o ganho de brilho, em razão da reposição da capa de gordura natural, que é produzida pelo couro cabeludo. Essa oleosidade é indispensável para deixar os fios sedosos e brilhantes.

Outro benefício é a redução do frizz e controle do volume. Ao nutrir os fios, eles ganham um aspecto muito mais alinhado, sem pontas enroladas ou diferentes do conjunto. Isso faz com que o volume permaneça no nível ideal.

Ao mesmo tempo, os tratamentos de nutrição contribuem para prolongar os efeitos da hidratação, mantendo a umidade no interior dos fios. Dentro de cada fio existe certa quantidade de água, que ajuda a dar brilho, resistência e vigor ao cabelo.

Além de todos esses benefícios, a nutrição capilar é capaz de dar um fim às pontas duplas e ressecadas, que deixam o cabelo com aspecto desagradável. Isso porque os produtos de nutrição são ricos em biotina para cabelo, que fortalece os fios.

 


 

Clique no botão abaixo e

saiba como irá acontecer sua

RECUPERAÇÃO CAPILAR!

 

Se você quer voltar a se sentir feliz em frente ao espelho e não ouvir mais os outros julgando você pelo seu cabelo você precisa obrigatoriamente conhecer e aplicar as técnicas e estratégias usadas pelos maiores especialistas capilares do mundo.

 

Botão COMPRAR AGORA